19.02.2020 | 13h05


GERAL / TEVE BRAÇO ARRANCADO

Homem que morreu em batida entre SW4 e carreta era empresário em MT

O motorista foi identificado como Fabrício da Silva Ribeiro, de 42 anos, atuava no setor de energia elétrica


DA REDAÇÃO

Foi identificada a vítima fatal do acidente entre uma Toyota SW4 e uma carreta Scania, que ocorreu na noite de terça-feira (18), no km 693 da BR-163 que liga Sorriso e Lucas do Rio Verde (332 e 420 km, respectivamente, da Capital). Sendo o condutor da SW4, o empresário Fabrício da Silva Ribeiro, de 42 anos, que não resistiu os ferimentos e morreu no hospital.

O corpo do empresário, que atua no ramo de energia elétrica, será velado na funerária Luz e Vida, no Centro de Sinop (420 km de Cuiabá). Em seguida, por volta das 16h seguirá para Rio Grande (RS), cidade de origem da vítima, onde morram familiares.

Fabrício era casado e deixa duas filhas.

O caso 

A batida entre Toyota SW4 e carreta aconteceu por volta das 19h30. Uma equipe de resgate da Rota do Oeste, concessionária que administra a rodovia, foi acionada para prestar os primeiros socorros aos dois ocupantes do veículo. Eles foram encaminhados em estado grave ao Hospital de Lucas do Rio Verde.

No entanto, o motorista não resistiu e morreu pouco depois de dar entrada na unidade de saúde. 

O condutor do caminhão teve apenas escoriações leves, recebeu atendimento dos paramédicos da Rota do Oeste e assinou termo de recusa de encaminhamento médico. 

Não há informações sobre o atual estado de saúde do carona do utilitário - veja mais aqui.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

abiloni  20.02.20 08h52
lamento a morte dele. Porem fui ao nortão recentemente e vi donos de hilux, s10, ranger, sw4, ultrapassando a uns 180, 190 km por hora. imprudencia total.

Responder

2
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO