01.02.2020 | 14h09


GERAL / PRESO POR TRÁFICO

Vereador passal mal na cadeia e é submetido a cirurgia de emergência

Jânio Calistro foi operado da vesícula na quinta-feira (30) no Hospital Santa Rosa. Na sexta ele recebeu alta e retornou ao presídio.


DA REDAÇÃO

O vereador por Várzea Grande Calistro Lemes do Nascimento (PSD), o Jânio Calistro, que está preso no Centro de Custódia da Capital (CCC) por envolvimento com o tráfico de drogas, passou mal e foi levado às pressas ao Hospital Santa Rosa, onde passou por cirurgia de emergência na última quinta-feira (30).

O parlamentar foi operado da vesícula e na sexta-feira (31) já retornou para o CCC, local em que está detido preventivamente desde dezembro do ano passado.

Segundo a assessoria do vereador, Calistro passou mal no dia 25, foi medicado no Pronto-Socorro de Cuiabá onde foi medicado e voltou para unidade prisional. No entanto, ele continuou a sentir dores no dia 27 e precisou retornar à unidade novamente.

Lá, os médicos indicaram cirurgia e, como o parlamentar possui plano de saúde, foi transferido ao Hospital Santa Rosa.

Acusação

O vereador foi preso durante a Operação Cleanup deflagrada no dia 19 de dezembro para dar cumprimento em 56 ordens judiciais, sendo 23 mandados de prisão e 33 de busca e apreensão.

As ordens judiciais foram expedidas pela 3ª Vara Criminal de Várzea Grande, com objetivo de combater a ação de traficantes que atuam principalmente no município.

Na quinta-feira passada, mesmo dia em que Calistro passou mal, o desembargador Gilberto Giraldelli, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), negou o pedido de soltura dele.

No habeas corpus, a defesa do vereador alegou que ele jamais teve envolvimento com facções criminosas, e apenas que teve contado com alguns investigados para tratar de assuntos lícitos. Jânio é escrivão aposentado da Polícia Civil.

Ainda conforme a defesa, nada relacionado ao tráfico de drogas foi encontrado na casa do parlamentar no dia do cumprimento do mandado o que comprovaria o não envolvimento dele nos crimes. 

Fato contrário ao que a Polícia Civil aponta. Os investigadores afirmam o parlamentar atuava na orientação e também arquitetava planos para os traficantes de Várzea Grande, ligados à facção Comando Vermelho.

O argumento da defesa do vereador não foi aceito pelo desembargador Gilberto Giraldelli, que classificou como ‘temerária’ a possível saída de Jânio da cadeia.

O desembargador também julgou como cabível o mantimento da prisão diante da gravidade dos delitos cometidos pelo vereador e que contam na investigação da Polícia Civil.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO