18.10.2019 | 08h20


VEJA GASTOS

UFMT torra R$ 1,3 milhão em viagens, mas não tem dinheiro para pagar conta de luz

As despesas são referentes ao período de janeiro a outubro deste ano. Somente a reitora Myrian Serra gastou cerca de R$ 100 mil com viagens para Suiça, EUA e Peru. Veja lista de gastos


DA REDAÇÃO

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) gastou R$ 1,3 milhão com viagens nacionais e internacionais, no ano de 2019. De janeiro a outubro a universidade torrou R$1.370.029,48 apenas com passagens aéreas e diárias.

Sendo 94% do valor para destinos nacionais, e 6% para destinos internacionais. Segundo o Portal Transparência, somente a reitora Myrian Serra, gastou cerca de R$ 100 mil.

Só em uma viagem para Genebra, na Suíça, que durou uma semana, a conta da magnífica ficou em R$ 21,7 mil. ela foi participar do prêmio WSIS Forum 2019, em que Mato Grosso figurou como finalista na categoria saúde virtual. O estado acabou em 5º lugar. 

Veja o gráfico:


Outro valor que chama atenção é R$ 19.085,80, utilizados pela reitora para passar dez dias em Washington, nos Estados Unidos, entre 23 de fevereiro e 03 de março. A UFMT não quis informar o que a reitora foi fazer na terra do Tio San. 

Completando o top 3 de Myrian, está sua ida para Lima, no Peru, onde torrou quase R$ 10 mil, oito dias depois de voltar dos EUA.  

Veja abaixo outros gastos da reitora com viagens este ano. 

Veja:
myrian - viagens .jpg

Em comparação com a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), os gastos da UFMT são maiores em 20%.

Veja:
gasto da ufmt.jpg

Crise

A UFMT iniciou o ano com dívidas de R$ 14 milhões, sem incluir os R$ 5 milhões devidos à empresa Energisa (que já foram reparcelados), além de diversos contratos em atraso. A universidade chegou a ter a energia cortada pela Energisa. 

A gestão de Myrian Serra tem sido muito criticada pelo MEC, alunos e deputados federais. 

Segundo estimativa da própria reitora, em coletiva há cerca de 30 dias, a UFMT deve entrar 2020, com R$ 60 milhões de déficit. Nesta sexta, o Governo Federal liberou todo o dinheiro do orçamento que estava contingenciado para as Ufs. MT deve receber na próxima semana, cerca de R$ 34 milhões. 

O orçamento previsto para este ano é de R$ 1 bilhão e 27 milhões. Maior que o da cidade de Várzea Grande, com 250 mil habitantes. A prefeitura tem orçamento previsto para 2020 de R$ 928 milhões. (VEJA)

Outro Lado 

Em nota, a UFMT esclareceu que os gastos declarados estão de acordo com as despesas de outras Instituiçoes Federais de Ensino Superior, similares à UFMT, tanto no estado quando fora. Além disso, as depesas diminuíram em relação aos anos anteriores, devido a medidas emergenciais aplicadas.

Veja na íntegra: 

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) esclarece que os gastos declarados com viagens estão de acordo com as despesas de outras Instituições Federais de Ensino Superior similares à UFMT, tanto no Estado quanto fora.

Essas despesas incluem viagens necessárias entre os Câmpus da Capital e do interior, uma vez que se trata de uma universidade multicampus, viagens para representar a Instituição em eventos nacionais e internacionais de grande importância, bem como viagens de campo, necessárias para o desenvolvimento das atividades acadêmicas da UFMT.  

Além disso, as despesas desse tipo diminuíram em relação com os anos anteriores, por causa das medidas emergenciais e estratégicas que têm sido adotadas para a manutenção das atividades da Instituição.

 

 

 











(9) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Pedro Margato  22.10.19 11h08
A farra do boi está todo vapor, independente da situação que se encontra. Ai, quando o MEC contigenciou as verbas a choradeira foi geral. É preciso ter consciência para ser gestor público, coisa que essa Myrian Serra desconhece.

Responder

9
0
Roger  20.10.19 15h36
E ainda tá passando pano para essas irregularidades (pra não dizer outra coisa)? Vai me dizer que os gráficos são forjados, é isso?!? KKKKKKKKK Para que tá feio. Não defenda o indefensável.

Responder

16
0
alexandre  20.10.19 07h44
É o mesmo grupo despesas correntes, pode se cortar e remanejar o recursos pra pagamento de faturas, se não tem pão, que comam brioches... tem que haver prioridades..

Responder

14
0
Cidadã matogrossense  19.10.19 20h13
Sem uma boa administração nada dá certo! Ela acha tudo normal! ... outras tbm gastam bastante... E daí ?Todas deveriam ter consciência do que é prioridade! Como energia por exemplo!

Responder

13
0
Maria Auxiliadora   18.10.19 20h36
Muito tendencioso esse artigo. Jornalismo sério passou longe. Vai fazer um mini curso de direito orçamentário, com ele vc vai aprender, entre outras coisas, que cada despesa tem uma dotação orçamentária específica e desta não pode fugir sob pena de o gestor incorrer em crime de improbidade administrativa com consequências penais, cíveis e administrativa. Quem encomendou estas linhas tem todo o interesse em desqualifica a universidade pública, desmoralizar a reitora para abrir caminho para o proto ditador nomear interventor, tal qual fez em MS. Não vai rolar. O Direito da UFMT é nota máxima no ENAD. Fica a dica.

Responder

23
96
Suzana de Paula Rabelo  19.10.19 12h28
Em Minas Gerais tambe'm.

Responder

5
8

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO