18.10.2019 | 08h20


GERAL / VEJA GASTOS

UFMT torra R$ 1,3 milhão em viagens, mas não tem dinheiro para pagar conta de luz

As despesas são referentes ao período de janeiro a outubro deste ano. Somente a reitora Myrian Serra gastou cerca de R$ 100 mil com viagens para Suiça, EUA e Peru. Veja lista de gastos


DA REDAÇÃO

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) gastou R$ 1,3 milhão com viagens nacionais e internacionais, no ano de 2019. De janeiro a outubro a universidade torrou R$1.370.029,48 apenas com passagens aéreas e diárias.

Sendo 94% do valor para destinos nacionais, e 6% para destinos internacionais. Segundo o Portal Transparência, somente a reitora Myrian Serra, gastou cerca de R$ 100 mil.

Só em uma viagem para Genebra, na Suíça, que durou uma semana, a conta da magnífica ficou em R$ 21,7 mil. ela foi participar do prêmio WSIS Forum 2019, em que Mato Grosso figurou como finalista na categoria saúde virtual. O estado acabou em 5º lugar. 

Veja o gráfico:


Outro valor que chama atenção é R$ 19.085,80, utilizados pela reitora para passar dez dias em Washington, nos Estados Unidos, entre 23 de fevereiro e 03 de março. A UFMT não quis informar o que a reitora foi fazer na terra do Tio San. 

Completando o top 3 de Myrian, está sua ida para Lima, no Peru, onde torrou quase R$ 10 mil, oito dias depois de voltar dos EUA.  

Veja abaixo outros gastos da reitora com viagens este ano. 

Veja:
myrian - viagens .jpg

Em comparação com a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), os gastos da UFMT são maiores em 20%.

Veja:
gasto da ufmt.jpg

Crise

A UFMT iniciou o ano com dívidas de R$ 14 milhões, sem incluir os R$ 5 milhões devidos à empresa Energisa (que já foram reparcelados), além de diversos contratos em atraso. A universidade chegou a ter a energia cortada pela Energisa. 

A gestão de Myrian Serra tem sido muito criticada pelo MEC, alunos e deputados federais. 

Segundo estimativa da própria reitora, em coletiva há cerca de 30 dias, a UFMT deve entrar 2020, com R$ 60 milhões de déficit. Nesta sexta, o Governo Federal liberou todo o dinheiro do orçamento que estava contingenciado para as Ufs. MT deve receber na próxima semana, cerca de R$ 34 milhões. 

O orçamento previsto para este ano é de R$ 1 bilhão e 27 milhões. Maior que o da cidade de Várzea Grande, com 250 mil habitantes. A prefeitura tem orçamento previsto para 2020 de R$ 928 milhões. (VEJA)

Outro Lado 

Em nota, a UFMT esclareceu que os gastos declarados estão de acordo com as despesas de outras Instituiçoes Federais de Ensino Superior, similares à UFMT, tanto no estado quando fora. Além disso, as depesas diminuíram em relação aos anos anteriores, devido a medidas emergenciais aplicadas.

Veja na íntegra: 

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) esclarece que os gastos declarados com viagens estão de acordo com as despesas de outras Instituições Federais de Ensino Superior similares à UFMT, tanto no Estado quanto fora.

Essas despesas incluem viagens necessárias entre os Câmpus da Capital e do interior, uma vez que se trata de uma universidade multicampus, viagens para representar a Instituição em eventos nacionais e internacionais de grande importância, bem como viagens de campo, necessárias para o desenvolvimento das atividades acadêmicas da UFMT.  

Além disso, as despesas desse tipo diminuíram em relação com os anos anteriores, por causa das medidas emergenciais e estratégicas que têm sido adotadas para a manutenção das atividades da Instituição.

 

 

 











(11) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Claudio reis  08.12.19 05h12
Que declaração mentirosa! Depois fica criticando o governo de segurar verba!! Bando de safados!

Responder

0
0
MARCIO ARAUJO DE CARVALAHO  03.12.19 17h20
ta parecendo discurso de bolsominion, bem vazia e parcial a reportagem, recurso publico vem destinado através de codigos, se fez viagem foi porque tinha recurso pra viagem, se não prestar conta tem que devolver, mas essa de justificar a falta de repasse para o codigo de despesas de manutenção atacando é ridiculo, pra quem entende de serviço publico sabe que tem codigo para cada despesa. Não se paga energia eletrica com recurso destinado a viagem etc... reportagenzinha cretina.

Responder

11
112
Airano  04.12.19 05h18
Tem 100% de razão porém desconsidera o princípio da moralidade administrativa.

Responder

35
7
CARLOS   04.12.19 08h00
acho que o Governo esta certíssimo em nao repassar dinheiro do trabalhador para financiar viagens de pessoas que nada vai beneficiar nem o povo muito menos os alunos ...se vc assiste tv e jornal deve ter visto que os universitários do Brasil estao em ultimo lugar nao sabem nem a Matemática basica .entao tem mesmo e que cortar esta Farra e descontrole de dinheiro nosso até que enfim Temos um Presidente de respeito e responsabilidade..

Responder

71
5
Gregorio   07.12.19 07h19
Isso é um retrato de uma administração corrupta.

Responder

6
0
Pedro Margato  22.10.19 11h08
A farra do boi está todo vapor, independente da situação que se encontra. Ai, quando o MEC contigenciou as verbas a choradeira foi geral. É preciso ter consciência para ser gestor público, coisa que essa Myrian Serra desconhece.

Responder

112
6
Roger  20.10.19 15h36
E ainda tá passando pano para essas irregularidades (pra não dizer outra coisa)? Vai me dizer que os gráficos são forjados, é isso?!? KKKKKKKKK Para que tá feio. Não defenda o indefensável.

Responder

66
1
alexandre  20.10.19 07h44
É o mesmo grupo despesas correntes, pode se cortar e remanejar o recursos pra pagamento de faturas, se não tem pão, que comam brioches... tem que haver prioridades..

Responder

55
1

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO