29.01.2019 | 14h10


CRISE EXTREMA

Sem conseguir pagar salários, presidente da Santa Casa renuncia ao cargo

Antônio Preza afirma que renunciou após perceber que estava atrapalhando o envio de recursos no montante de R$ 12,4 milhões.


DA REDAÇÃO

O médico Antônio Preza renunciou à presidência da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá durante uma reunião com a diretoria do hospital na manhã desta terça-feira (29). Assume a vaga o médico Carlos Coutinho, atual vice-presidente da entidade.

Para deixar o cargo, Preza alega que permanecer na função atrapalha o envio de recursos no montante de R$ 12,4 milhões para sanar dívidas trabalhistas do hospital.

“Como eu não consegui que a Prefeitura liberasse esse recurso, decidi renunciar ao cargo. Talvez assim, o dinheiro chegue à Santa Casa”, disse Preza

Segundo o ex-presidente, a verba foi obtida por meio da bancada federal de Mato Grosso e já estaria na conta do Município de Cuiabá.

“Como eu não consegui que a Prefeitura liberasse esse recurso, decidi renunciar ao cargo. Talvez assim, o dinheiro chegue à Santa Casa”, disse Preza ao ao sugerir que questões políticas estariam travando o repasse de recurso.

O ex-presidente ressaltou ainda que o dinheiro seria fundamental para ajudar a quitar as três folhas salariais que estão em atraso na Santa Casa, referentes aos meses de novembro, 13° e dezembro. Ao todo, a dívida com médicos, enfermeiros e trabalhadores da área administrativa chega R$ 4,5 milhões.

“Ao longo dos últimos seis anos estivemos a frente da Diretoria que dirigiu os destinos desta Sociedade e, que foi uma experiência inimaginável que seria amenizada com a liberação da emenda parlamentar que já está na Prefeitura Municipal de Cuiabá, alocada pela bancada federal de Mato Grosso e que não consegui que esta liberação ocorresse”, escreveu Antônio Preza em sua carta de renúncia. 

“No sentido de facilitar um resultado positivo quanto à liberação desses recursos renuncio à presidência da Santa Casa transferido ao vice-presidente Dr. Carlos Coutinho, para que possa fazer gestão junto à municipalidade da liberação da emenda que é fundamental para a nossa sobrevivência”, acrescentou no documento.

Leia a carta de renúncia: 

RepórterMT/Divulgação

carta renuncia santa casa
 

Outro lado

A Prefeitura de Cuiabá, por meio de nota, negou que tenha dívida com a Santa Casa. Pelo contrário, o Executivo afirmou que hospital deve R$ 13, 4 milhões por serviços médicos não prestados ao município.

Leia a nota na íntegra:

A Secretaria Municipal de Saúde informa que a Santa Casa deve R$ 13,4 milhões em exames e cirurgias eletivas para o município. Além disso, existe um relatório do órgão de auditoria do SUS que comprova que a Santa Casa precisa devolver R$ 4,5 milhões recebidos indevidamente, referentes aos leitos de retaguarda. A Santa Casa deve ainda à Prefeitura R$ 3 milhões em empréstimos realizados nos meses de setembro e outubro de 2018.

Em relação aos R$ 12,4 milhões que o diretor da Santa Casa afirma que a Secretaria Municipal de Saúde deve ao hospital, trata-se de uma emenda parlamentar destinada exclusivamente ao custeio do atual Pronto Socorro, uma vez que a Santa Casa na época não tinha mais saldo para receber emendas. Este recurso veio para a SMS conforme Portaria do Ministério da Saúde de nº 3930, de 28 de dezembro de 2017. A portaria segue no anexo.

A Secretaria Municipal de Saúde explica que os recursos de emendas parlamentares vem no CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde) para o qual foi destinado. Conforme descrito na Portaria, o recurso chegou para o CNES de número 2495015, que é referente ao Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá.

Leia mais

Santa Casa recebe do Governo, mas não paga salários dos funcionários 

 

 

 

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Rafael  30.01.19 06h31
Já roubou demais ......não tem da onde tirá mais porisso renunciou

Responder

2
0
Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER