23.02.2020 | 16h45


GERAL / CASA DE FERREIRO

Secretário admite não saber sobre IPVA e licenciamento de viaturas da Polícia

Na semana passada, uma confusão entre amarelinhos e policiais terminou com uma viatura e um carro da Sembo guinchados por documentos atrasados.


DA REDAÇÃO

O secretário de Estado e Segurança Pública (Sesp), Alexandre Bustamante declarou estar surpreso com o episódio dos documentos vencidos de viaturas policiais.

“Eu fiquei surpreso com essa questão do documento atrasado, documento atrasado não, falta de expedição de certificado, pois os documentos estão em dia. Não tem falta de pagamento de impostos”, argumentou Bustamante.

“O grande problema que tem, não é problema entre instituições. É um problema pontual entre um ou outro servidor, que vai ser investigado pela corregedoria. Entre as instituições está tudo bem”, explicou Bustamante.

Na última semana, agentes de trânsito da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) e policias civis protagonizaram um bate-boca, que terminou com uma viatura policial e um carro da Semob guinchados, ambos por documentos vencidos.

Questionados sobre uma possível tensão entre os órgãos, o secretário disse que não há clima e que seguem trabalhando juntos.

“O grande problema que tem, não é problema entre instituições. É um problema pontual entre um ou outro servidor, que vai ser investigado pela corregedoria. Entre as instituições está tudo bem”, explicou.

Quanto à Polícia Civil e Militar seguir realizando blitz, e autuando motoristas infratores, mesmo com problemas na própria documentação, o secretário afirmou que o Estado não deixará sua responsabilidade de lado.

“A gente está verificando junto à Corregedoria e, se houve falha de algum servidor, ele vai responder por isso. Agora, não cabe ao Estado deixar de cumprir sua obrigação e fiscalizar. Nós vamos continuar fiscalizando” pontuou.

Leia mais: Confusão entre amarelinhos e policiais acaba com duas viaturas apreendidas

 











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Luiz  25.02.20 08h42
Com tantos assessores, tanto dinheiro e não sabia???

Responder

1
0
Antônio da Silva   23.02.20 20h10
É só exonerar o coronel do bombeiro responsável pelo contrato.

Responder

4
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO