alexametrics
03.08.2015 | 16h00


GERAL / EDUCAÇÃO PARADA

Secretária emite nota e lamenta posição do Sintep em VG; 'contemplamos o piso nacional'



A secretária de Educação, Cultura, Esporte e Lazer  de Várzea Grande, Zilda Pereira Leite, lamentou hoje a greve dos professores e servidores da área, conforme deliberação ocorrida na manhã desta segunda-feira (03), em assembleia do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep). A secretária diz que Foram reiteradas as tentativas de acordo com classe, para evitar a greve e que a proposta da prefeitura de Várzea Grande, de reajuste de 13,66%, em duas parcelas, contempla o piso salarial nacional dos professores.

“A greve é um direito garantido a todos os professores, mas esta paralisação não pode dar descontinuidade do ano letivo e prejuízos aos mais de 25 mil alunos de Várzea Grande e suas famílias”, diz Zilda

A Secretaria emitiu nota na tarde desta segunda.   

"Não houve resposta oficial do Sintep sobre essa proposta, encaminhada no início da semana passada. Diante disso, a secretária de Educação mantém, como sempre fez, aberto o campo para o diálogo com a categoria com objetivo de assegurar negociação urgente, para o pleno restabelecimento dos trabalhos na área. 

“Respeitamos a posição do Sintep e ficamos aguardando a resposta sobre o encaminhamento que fizemos na semana passada, de reajuste de 13,66% em duas parcelas para os professores e de 8,5% para todos os servidores na folha salarial de agosto”, assinalou Zilda Pereira Leite. 

A proposta da Secretaria de Educação é embasada na Lei 11.738/2008, que regulamenta o piso salarial nacional para os profissionais do magistério da educação básica. O Sintep, em reunião com representantes da Educação, defendem a aplicação de reajuste abrangendo não apenas professores, como também servidores de apoio administrativo, em desacordo com a Lei. 

Zilda reafirma o cumprimento da legislação. “A lei determina o piso nacional para os profissionais da educação, ou seja, os professores em sala de aula. O sindicato tem na sua composição as outras atividades, como servidores de apoio à administração escolar e secretarias, que não são alcançados por essa lei. Esses servidores também serão contemplados com reajuste, conforme a proposta dirigida ao Sintep”, pontua.

A secretária de Educação frisa ainda que todos os esforços da prefeitura têm sido para atender a classe dos trabalhadores na Educação, seguindo ainda as normativas da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que estipula limites para gastos com pessoal.

“A greve é um direito constitucional garantido a todos os professores, mas esta paralisação na Rede Pública Municipal não pode dar descontinuidade do ano letivo e prejuízos aos mais de 25 mil alunos de Várzea Grande e suas famílias”. 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime