08.01.2015 | 00h54


GERAL / ALERTA VERMELHO

(sábado - editada) Alta do dólar pode aumentar dívida pública e comprometer MT, diz secretário

De acordo com o secretário, a dívida está ligada à variação do dólar, o que deixa a economia mato-grossense refém de qualquer alta da moeda.


DA REDAÇÃO

A dívida pública do Estado de Mato Grosso pode piorar o já complicado cenário econômico previsto para o Estado em 2015. A afirmação feita pelo secretário de Fazenda, Paulo Brustolin, em entrevista ao programa Conexão Poder, no último domingo (1).

"Em torno de 23% da dívida do estado de Mato Grosso está exposta à oscilação do dólar”.

 

De acordo com o secretário, a dívida está ligada a variação do dólar, o que deixa a economia mato-grossense refém de qualquer alta da moeda.

“Começamos a fazer um levantamento de como está o custeio da dívida pública no governo do Estado e tem uma questão, que muito me preocupa, que uma boa parcela da dívida pública está exposta a variação cambial. Ou seja, em torno de 23% da dívida do Estado de Mato Grosso está exposta a oscilação do dólar”, declarou.

"Pode ter uma variação forte no câmbio e isso comprometer a política de investimento do Estado".

De acordo com o secretário, as precisões econômicas não são boas e o Estado pode ficar sem capacidade para investir em novos empréstimos, por exemplo.

“Não temos um cenário econômico nacional muito favorável . Pode ter uma variação forte no câmbio e isso comprometer a política de investimento do Estado de Mato Grosso”, frisou.

CONFIRA ENTREVISTA

Preocupado, Brustolin ressaltou que deve buscar ajuda do Tesouro Nacional, discutindo a renegociação da dívida. 

No final de 2014, a dívida pública do Estado  somava cerca de R$ 5 bilhões. Isso porque houve a quitação de parte dela antes. O montante bilionário comprometia no ano anterior 28% do orçamento do Estado. O secretário porém, não deu detalhes sobre o comprometimento e a dívida em 2015.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO