05.10.2014 | 09h02


LIXO DE CAMPANHA

Ruas de Cuiabá e Várzea Grande amanhecem emporcalhadas de santinhos

Os cabos eleitorais aproveitaram a madrugada para forar as frentes das casas, escolas e locais de votação


DA REDAÇÃO

Ruas de Cuiabá e Várzea Grande amanheceram neste domingo (05) forradas de santinhos de candidatos que ainda buscam os eleitores indecisos.

Os cabos eleitorais aproveitaram a madrugada para emporcalhar  as frentes das casas, escolas e locais de votação, tudo para garantir o voto daquele que não acompanhou o processo eleitoral e deixa para definir na última hora seu candidato.

A distribuição de santinhos caracteriza crime de boca de urna, e quem for flagrado cometendo tal delito pode ser enquadrado como crime eleitoral, e ser encaminhado para o popular cadeião, já que neste período eleitoral é proibido a prisão.

Permitido e Proibido, confira!

No dia da eleição, todo eleitor precisa seguir as regras previstas na lei eleitoral para votar com tranquilidade e sem cometer irregularidades. As eleições acontecem em todo o país das 8h às 17h. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, entre as regras sobre o que é permitido e o que é proibido na hora do voto estão:

- O eleitor pode fazer uma manifestação individual e silenciosa de apoio ao partido e/ou candidato de sua preferência (bonés, fitas, broches, bandanas);

- Para lembrar em quem votar, o eleitor pode levar a “cola” eleitoral, com o nome de seus candidatos escolhidos;

- Na cabine de votação, é proibido portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação ou quaisquer instrumentos que possam comprometer o sigilo do voto. Esses aparelhos devem ficar retidos com o mesário enquanto o eleitor vota;

- Não é permitido utilizar vestuário padronizado, bandeiras, broches nem adesivos que caracterizem uma manifestação coletiva de apoio;

-  É proibida a distribuição de panfletos e santinhos; a conhecida boca de urna pode levar à prisão.

- É proibido aos servidores da Justiça Eleitoral, aos mesários e aos escrutinadores o uso de vestuário ou objeto que contenha qualquer propaganda de partido político, de coligação ou de candidato;

- É vedada qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos;

- É proibida a entrada com bebidas alcoólicas e com roupas de banho no local de votação. Shorts, bermuda e sandália são permitidos. O eleitor também pode estar descalço para votar;

- É proibido usar alto-falantes e amplificadores de som, realizar comício ou carreata;

- Os fiscais partidários somente podem usar crachás com nome e sigla do partido a que pertencem e é vedada a padronização do vestuário;

- Para votar, o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida poderá contar com o auxílio de pessoa de sua confiança, ainda que não tenha feito o pedido antecipadamente ao juiz eleitoral;

- Não há regra sobre a permanência de animais nos locais de votação, mas cada presidente poderá determinar a retirada do animal se houver transtornos;

- O eleitor deficiente visual pode assinar a folha de votação, ou as cédulas oficiais, se for o caso, utilizando-se de letras do alfabeto comum ou do sistema "braille"; usar qualquer instrumento mecânico que trouxer ou lhe for fornecido pela mesa e que lhe possibilite exercer o direito de voto; utilizar-se do sistema de áudio, quando disponível;

Galeria de Fotos:
Crédito: Rafaela Souza
Crédito: Reprodução
Crédito: RpMT
Crédito: RpMT










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO