19.04.2015 | 15h30


GERAL / DECEPÇÃO DA COPA

Risco de desmoronamento: Morro do Despraiado segue sem data para reinício das obras

Governador Pedro Taques aguarda recursos financeiros e o resultado final de ampla auditoria nas obras da Copa do Mundo.


DA REDAÇÃO

Mesmo após o Governo do Estado ter feito o pagamento de R$ 1.234,830, 10 milhão da obra do Morro do Despraiado, ainda não há uma previsão para que o trecho da Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá, seja totalmente liberado para o trânsito.

No local, é necessária uma obra de contenção do morro, que apresentou desmoronamento e interditou parte do Viaduto Domingos Iglesias Valério.

No entanto, cinco famílias permaneciam instaladas no topo do morro, na Rua Xavantes, que fica no bairro Santa Helena.

Elas desocuparam a área neste domingo (12), mas ainda estão retirando partes das estruturas das casas que serão demolidas, como telhas, portas e janelas.

A Secretaria de Cidades afirmou nesta quarta-feira (15) ao RepórterMT que ainda não há previsão para reinício da obra, pois o governador Pedro Taques (PDT) aguarda recursos financeiros para investir na obra e o resultado final de ampla auditoria nas obras da Copa do Mundo.

Ao todo, a construção custará aos cofres públicos R$ 1.946,446, 43 milhão. Já foram pagos e executados 63,1% da obra, que tem como responsável a empresa PPO Pavimentação e Obras Ltda. 

Haviam 10 casas localizadas no morro, mas elas foram desapropriadas pelo Governo do Estado, após terem sido condenadas pela Defesa Civil. O valor da indenização é de R$ 2,8 milhões.

O contrato com a empresa foi assinado no dia 11 de setembro de 2014, quase dois meses depois o resultado da licitação foi publicado no Diário Oficial (24 de agosto). A obra deveria ter prazo de execução de 120 dias.

A proposta é construir no pé do morro um muro de gabião, que permite o escoamento da água e deve evitar novos desmoronamentos.

As fortes chuvas, associadas à falta de drenagem tem gerado uma imensa poça d’água, na Avenida Miguel Sutil, o que dificulta a vida dos motoristas que tentavam acessar a via.  

A água barrenta que escorre do morro frequentemente invade a pista do viaduto, causando risco de novos desmoronamentos.

Galeria de Fotos:
Crédito: RepórterMT
Crédito: RepórterMT
Crédito: RPMT
Crédito: RPMT
Crédito:
Crédito: Repórter MT
Crédito: RepórterMT










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO