06.02.2015 | 08h11


IMPASSE NA SAÚDE

Reunião entre prefeitura e Médicos pode por fim à greve em Cuiabá

O encontro está previsto para as 10h desta sexta-feira (6), na sede do Poder Judiciário.



O Tribunal de Justiça de Mato Grosso vai intermediar uma reunião entre a prefeitura de Cuiabá e o Sindicato dos Médicos. O encontro está previsto para as 10h desta sexta-feira (6), na sede do Poder Judiciário.

Os médicos anunciaram que vão paralisar os serviços nas unidades de saúde da capital por tempo indeterminado, a partir da próxima segunda-feira (9), onde deve afetar o atendimento no Pronto-Socorro de Cuiabá, na Upa da Morada do Ouro e nos PSFs.

O Sindicato cobra de Mauro Mendes (PSB) o cumprimento de um acordo realizado no final de 2013.

De acordo com a presidente do Sindimed, Eliana Siqueira, a categoria tentou de todas as formas evoluir as negociações junto à prefeitura, mas não houve acordo.

Esta semana, a prefeitura de Cuiabá e o Sindicato voltaram a ter um impasse. Desta vez no campo político. A categoria disse que não quer negociar mais com o secretário de Saúde, Ary Soares de Souza Júnior, e pediu para que o prefeito entrasse na negociação.

O secretário de Comunicação da prefeitura de Cuiabá, Kleber Lima, disse que  Mendes não vai negociar e que ela, a negociação, será feita com o chefe da pasta.

Ao anunciar a greve, o Sindimed disse que seriam cumpridos apenas os 30% determinados em lei em atendimentos de urgência e emergência.

Por sua vez, a Prefeitura tenta impedir a paralisação e por isso recorreu à Justiça para intermediar um possível acordo que possa demover a ideia de greve.

Entre as principais reivindicações estão a regularidade de medicamentos - segundo os médicos cerca de 90% de alguns medicamentos básicos para o atendimento estão em falta nas unidades -, melhores condições de trabalho, segurança, reajuste salarial, entre outros. A rede municipal conta com 693 profissionais distribuídos entre o Pronto-Socorro (253), Atenção Básica (164) e Atenção Secundária (276). Com A Gazeta 

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER