07.10.2019 | 09h30


CASO DANILO CAMPOS

Presidente do STJ nega absolvição a assassinos de personal trainer

A vítima é filho do vereador por Várzea Grande, Nilo Campos (DEM), e se envolveu com a esposa de Guilherme, o que teria motivado o crime.


DA REDAÇÃO

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha negou o recurso de absolvição a Guilherme Dias de Miranda e Wallisson Magno de Almeida Santana, condenados pela morte do personal trainer Danilo Campos, que foi assassinado a tiros em 2017.

Guilherme e Wallison estão presos na Penitenciária Central do Estado (PCE), desde 2018. Com o agravo indeferido, os condenados seguem presos.

A vítima era filho do vereador de Várzea Grande, Nilo Campos (DEM), e se envolveu com a esposa de Guilherme, o que teria motivado o crime.

A decisão do presidente do STJ é do dia 20 de setembro.

O caso tramitou na 12° Vara Criminal de Cuiabá, distribuído ao juiz Flávio Miráglia Fernandes, que decidiu que a dupla passasse por Tribunal do Júri, competência da 1° Vara Criminal, que está aos cuidados da juíza Mônica Catarina Perri. Wallison e Guilherme foram condenados pelo júri.

A defesa recorreu ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), na segunda instância. Em junho, a Terceira Câmara Criminal negou os pedidos de absolvição dos condenados.

Sendo assim, Guilherme e Wallison recorreram ao STJ, mas os pedidos foram negados.

Na solicitação, o argumento utilizado foi de que estaria provado que eles não eram nem autor ou partícipe do fato, já que se encontravam em lugares diferentes no momento do crime.

Para o ministro, a defesa deixou de impugnar o devido fundamento de que tiveram seu pedido negado pelo TJMT, desta forma não reconheceu o recurso, denegando os pedidos.

“Agravo regimental improvido e indeferido o pedido de execução de pena”, consta na publicação.  











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER