27.03.2020 | 10h57


GERAL / RACHA NO PARTIDO

Prefeito e ex-vereador brigam e acusações vão de ameaça à difamação

Biroska registrou boletim de ocorrência contra prefeito que já avisou que ex-vereador vai ter que provar acusações na Justiça


DA REDAÇÃO

Um desacordo político entre o prefeito de Barra do Garças (512 km da Capital) Roberto Ângelo de Farias (PSD) e o ex-vereador Ailton Teixeira da Silva (PSD), mais conhecido como Biroska, terminou em ocorrência policial, acusações por crimes de ameaça, difamação, calúnia e injúria. Tudo aconteceu após uma discussão entre os companheiros de partido no gabinete do chefe do executivo na manhã da última terça-feira (24).

De acordo com a ocorrência registrada pelo ex-parlamentar, ele teria sido convocado para a "reunião", onde o prefeito teria questionado “se era verdade que estaria se aliando a inimigos”. Biroska teria respondido que daria apoio a outro candidato sim, pois discorda do candidato que Roberto apoia.

O prefeito, segundo relato de Biroska, teria ficado indignado e ameaçado demitir a filha do ex-vereador da prefeitura e dito que “acabaria com ele”.

Ailton ainda explicou que tentou se defender, mas foi colocado para fora da sala por um segurança da prefeitura e, em seguida, foi embora.

O prefeito se posicionou sobre o caso e apenas disse que o assunto será discutido na Justiça, cabendo a Biroska apresentar as provas sobre os fatos narrados por ele no boletim de ocorrência.

O prefeito ainda deixou claro que tem testemunhas, já que no momento da discussão havia outras pessoas na sala que podem relatar, com detalhes, como as coisas aconteceram realmente.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

REMÉDIO POLÊMICO

Você tomaria hidroxicloroquina caso contraísse Covid-19?

Sim. O remédio está no mercado há 70 anos

Não. O remédio não tem comprovação de pesquisa para Covid

Não. Cloroquina é o remédio do Bolsonaro

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO