22.01.2020 | 14h34


EFEITO PROTESTO

Operário VG desiste de contratar goleiro Bruno após repercussão desastrosa

A decisão da diretoria do clube foi anunciada nesta quarta-feira (22), após o time ser alvo de protesto e perder patrocinadores.



Depois da pressão popular e de patrocinadores, a diretoria do Operário Várzea-grandense decidiu que não irá contratar o goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza.

A decisão foi anunciada nesta quarta-feira (22). Veja o informativo do clube esportivo no final da matéria

O clube foi alvo de protesto na noite de terça-feira (22), em seu jogo de estreia pelo campeonato Mato-Grossense, no Estádio Dito Souza, em Várzea Grande. Dezenas de mulheres e homens se manifestaram na porta do estádio, aos gritos de Bruno não: “Meu ídolo não é feminicida. Respeitem as mulheres. Operário sim, assassino, não”, entre outros dizeres.

No último domingo (19), foi criado um grupo no WhatsApp intitulado “Bruno não”, para organizar a população e promover atos contra a vinda do ex-goleiro do Flamengo.

Além disso, desde o final de semana, imagens circulam nas redes sociais, em que aparece o clube com a estampa de “Vergonha da Fronteira”, fazendo trocadilho com o apelido do time que é “Chicote da Fronteira”.

Essa onda contrária já fez empresas como o Sicredi e a Eletromóveis Martinello retirarem suas marcas da camiseta do clube. 

Bruno Fernandes foi condenado pela morte da mãe do seu filho Eliza Samudio. Ele foi preso em 2010 e sentenciado em 2013 por homicídio triplamente qualificado. Em menos de dois anos foi transferido para o regime semiaberto.

Veja abaixo o comunicado emitido pelo time

 

comunicado operario

 











(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Emily  22.01.20 23h25
Muito bom! Que ela aprenda onde é o lugar dele.

Responder

0
0
Gilston  22.01.20 17h13
Este Bruno é um mostro. Por causa de uma simples pensão ao seu próprio belezinha ele manda matar uma esposa. Certinho a decisão, uma vez que o Sr Bruno, primeiro precisa entregar as ossadas que mulher que ele confessou mando matar, para a sua família fazer um sepultamento digno. Após isso, ta livre para recomeçar em outra profissão. Agora, esta gente que estava ou ainda esta apoiado o Bruno, é por que o Sr Bruno matou filha dos outros e não de seu apoiadores. Duvido se a mulher morta fosse uma filha, fosse uma esposa, se fosse a sua mãe duvido que estariam ai nesta aforia de alegria em apoiar este mostro que não queria pagar pensão para o seu próprio filho bebezinho. Quem ta apoiando e querendo dar uma chance pra ele, que leve ele pra sua casa e dê emprego, como pintor, como pedreiro ou como seu motorista .

Responder

12
6
Marla  22.01.20 16h58
O PONTO POSITIVO É QUE QUANDO O POVO VAI ÀS RUAS AS COISAS MUDAM. PORTANTO VAMOS NOS MOBILIZAR CONTRA A CORRUPÇÃO E A IMPUNIDADE QUE IMPERA EM NOSSA CIDADE,EM NOSSO ESTADO.

Responder

12
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO