18.01.2020 | 18h55


MODER DIET

MP investiga se shopping vende falso emagrecedor apreendido com influencer

Inquérito foi aberto após Paula Biazin ser presa no último dia 28 vendendo o produto pela internet; Segundo a polícia, o Moder Diet tem substâncias que causam mal à saúde.


DA REDAÇÃO

O promotor Márcio Florestan Berestinas, da 3ª Promotoria de Justiça Cível de Sorriso (420 km de Cuiabá), determinou que seja investigada a suposta venda do falso emagrecedor Moder Diet no Park Shopping Sorriso.

Inquérito Civil foi instaurado pelo Ministério Público Estadual (MPE) em 8 de janeiro para também investigar a digital influencer Paula Biazin, presa no dia 28 de dezembro passado numa ação coordenada pela Polícia Civil.

Ela pagou cinco salários mínimos (R$ 4.970,00) para deixar a cadeia.

Instagram

influencer presa

 Influencer Paula Biazin.

O inquérito do MP busca coletar formações sobre a oferta do produto no espaço do shopping.

“Diligencie-se nas dependências do Park Shopping Sorriso para investigar a exposição e comercialização do produto Moder Diet pela Sra. Paula Biazin Gandolfi no local. Lavrando-se certidão”, determinou o promotor.

Ao instaurar o inquérito civil, Márcio Florestan salientou que a denúncia aponta para a comercialização do produto sem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Considerando a documentação encaminhada pela 1ª Promotoria de Justiça Criminal da Comarca de Sorriso, relatando, em síntese, a divulgação e comercialização pela Sra. Paula Adriana Biazin Gandolfi do produto Moder Diet, sem registro na ANVISA, sem comprovação de origem e sem Alvará Sanitário, nas dependências do Park Shopping Sorriso”, destaca a portaria. 

Após a coleta de dados e depoimento da influencer, o MP deverá emitir um parecer à Justiça pedindo a condenação da acusada ou arquivamento do processo. 

Outro lado

Em entrevista ao Balanço Geral, programa da TV Sorriso, a digital influencer Paula Biazin afirmou que jamais colocaria em risco a vida de alguém.

"Jamais colocaria a minha vida e a vida da minha família em risco e, então, consequentemente, não colocaria em risco a vida de ninguém. Jamais divulgaria para mais 300 mil pessoas um produto que eu soubesse que era ilícito e que faria mal para a saúde. Foram anos trabalhando para ganhar o meu nome, o meu espaço para empresas de grande nome que me conhecem e sabem da minha índole".

Paula recebia da Moder Diet Gold R$ 1,2 mil mensais para divulgar o produto.

"Estou com o coração partido de ter que passar por tudo isso. Sinto-me envergonhada perante a minha família. Tudo que batalhei para chegar e por uma simples pessoa que me enganou eu passar por isso. Peço desculpas às pessoas que não me conhecem e à minha família por expô-los dessa maneira. Cai numa armadilha, fui enganada".

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO