27.05.2020 | 12h40


GERAL / GUERRA DE FACÇÕES

MP denuncia membros do CV que arrancaram coração de rival; veja fotos e vídeo

Promotoria de Justiça de Rosário Oeste denunciou os criminosos por homicídio qualificado, associação à organização criminosa e vilipêndio a cadáver


DA REDAÇÃO

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT), por meio da Promotoria de Justiça de Rosário Oeste (a 128 km da Capital), denunciou à Justiça João Paulo de Castro Lima, vulgo “João Moeda”, Genoilton Domingos dos Santos, vulgo “Gene”, e Genilto Domingos dos Santos, vulgo “DJ Minhocão”, pelo homicídio de Thaison Silva de Morais. O crime foi cometido por meio de tortura, sendo que a vítima teve o coração arrancado do peito pelos criminosos.

A promotoria denunciou os bandidos por homicídio qualificado, associação à organização criminosa e vilipêndio a cadáver. Eles filmaram e postaram um vídeo nas redes sociais ‘humilhando o corpo’, onde abriram o peito da vítima, expuseram as vísceras e fizeram ameaças aos rivais.

O crime foi cometido no dia 9 de maio de 2020 e o cadáver encontrado no lixão da cidade.

“Assim agindo, os acusados, integrantes do Comando Vermelho, com aderência de vontades, praticaram um crime de homicídio qualificado pelo meio cruel – tortura, porquanto impingiram-lhe violência além da necessária para a prática do homicídio, visando causar-lhe extremo sofrimento físico e mental antes do golpe mortal, bem como tinham o propósito de constrangê-la com (facadas) e ameaças (promessas de morte), com o fim de obter informações a respeito de integrantes da organização criminosa rival”, argumenta o MPMT na denúncia.

Entenda o caso

Thaisson foi executado por ser integrante da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), rival do CV. As duas facções disputam o controle de regiões pelo comando do tráfico de drogas.

Após a divulgação do vídeo, que a Polícia Civil teve acesso, foi possível identificar um dos bandidos, identificado como “João Moeda”, 28 anos, que narrava a execução. O criminoso foi localizado e preso.

João teria arquitetado o crime, supostamente, por ter sofrido tentativa de homicídio por parte de Thaisson anteriormente.

"A execução foi gravada em um aparelho celular dos criminosos, e difundida pelo aplicativo WhatsApp para diversos grupos, com o esboço de demonstrar crueldade em que membros de uma facção julgaram, condenaram e executaram a vítima, que integrava um grupo rival. Contudo os policiais civis tiveram acesso ao vídeo sendo possível identificar um dos participantes", destacou o delegado Guilherme Bertoli. Veja o vídeo aqui.

Na unidade policial, o acusado confessou a autoria do homicídio e explicou que Thaisson foi vítima de emboscada em sua casa, no bairro Santo Antonio, onde ele foi capturado pelo CV e levado para a casa dos comparsas “Gene” e “DJ Minhocão”, onde os policiais confirmaram ser o mesmo local que aparece nas filmagens de tortura.

Durante a sequência das investigações, os policiais chegaram aos comparsas, que também foram presos.

IMAGENS FORTES

Galeria de Fotos:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO