18.02.2020 | 21h50


GERAL / VEJA FOTOS

Motorista tem braço arrancado e morre após bater SW4 contra carreta em rodovia de MT

Outro ocupante que estava no utilitário foi internado em estado grave no Hospital de Lucas do Rio Verde. O motorista do caminhão sofreu apenas escoriações leves


DA REDAÇÃO

Uma batida entre uma Toyota SW4 e uma carreta Scania no km 693 da BR-163, trecho da rodovia que liga Lucas do Rio Verde a Sorriso (332 e 420 km, respectivamente, da Capital), na noite dessa terça-feira (18), terminou com o motorista do utilitário morto e o carona gravemente ferido. A identidade das vítimas não foi divulgada. 

Uma equipe de resgate da Rota do Oeste, concessionária que administra a rodovia, foi acionada às 19h30, quando prestou os primeiros socorros aos dois ocupantes no local do acidente, mas devido à gravidade dos ferimentos encaminharam os pacientes ao Hospital de Lucas do Rio Verde. 

O motorista não resistiu e morreu pouco depois de dar entrada na unidade de saúde.  

O condutor do caminhão teve apenas escoriações leves, recebeu atendimento dos paramédicos da Rota do Oeste e assinou termo de recusa de encaminhamento médico. 

Não há informações sobre o atual estado de saúde do carona do utilitário. 

De acordo com o boletim de ocorrência, a SW4 bateu contra a traseira da Scania, saiu da pista e caiu numa ribanceira. Com o impacto da batida, a vítima teve o braço arrancado pelas ferragens. 

Não houve necessidade de interditar a pista e o fluxo do trânsito na rodovia seguiu normal. 

O Corpo de Bombeiros também atendeu a ocorrência. 

 

Galeria de Fotos:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO