31.10.2019 | 09h55


PODEM DESABAR

Moradores de condomínio fechado terão que deixar casas; Veja Vídeo

De acordo com a Defesa Civil, 54 famílias do condomínio Terra Nova devem deixar o local nesta quinta-feira (31).


DA REDAÇÃO

Cinquenta e quatro famílias do condomínio Terra Nova, no bairro 23 de Setembro, em Várzea Grande, foram notificadas, na terça-feira (29), pela Defesa Civil para que deixem suas casas por risco de desabamento.

A jornalista Milene Nunes, moradora do condomínio, revelou ao  que uma fiscalização da Defesa Civil apontou que a construtora Rodobens fez as obras em cima de um aterro, onde possui corrente de água.

“Fomos notificados ontem [30] que a gente deve sair, ou seja, hoje tem que sair. O pior é que se a Prefeitura fizer a interdição não pode nem entrar para retirar as nossas roupas daqui de dentro”, explica.

Milene lembra, ainda, que já gastou mais de R$ 30 mil em reformas e planejamento de concreto para sanar o problema de estrutura. A situação não é isolada e a maioria dos vizinhos está na mesma situação e, pior, não tem para onde ir. Eles alegam que terão que pagar alugueis no valor de R$ 1,4 mil e R$ 1,8 mil, valores compatíveis com as casas do condomínio.

“Fomos notificados ontem [30] que a gente deve sair, ou seja, hoje tem que sair. O pior é que se a Prefeitura fizer a interdição não pode nem entrar para retirar as nossas roupas daqui de dentro”, explica.

A jornalista argumentou que devido à forte chuva sobre a cidade na madrugada desta quinta-feira (31), o risco de desabamento aumentou ainda mais.

“O complicado é que com essa chuva a situação piora ainda mais. Tem gente desesperada aqui chorando porque não tem para onde ir”, disse.

Pagando aluguel, sem ter garantia por parte da construtora de encontrar uma solução, os moradores correm o risco de ainda terem os nomes negativados, em razão do atraso no pagamento do financiamento das residências.

“O complicado é que com essa chuva a situação piora ainda mais. Tem gente desesperada aqui chorando porque não tem para onde ir”, disse.

“Aqui tem um morador que gastou mais de R$ 80 mil em pelo menos cinco reformas por causa das rachaduras. Existe uma rachadura que um facão entrou inteirinho dentro. O solo apresenta risco de afundar a qualquer momento”, justifica.

Prefeitura de Várzea Grande

Ao  a assessoria de imprensa informou que o Ministério Público Estadual, por meio da Promotoria de Meio Ambiente, recomendou que a Defesa Civil fizesse a desintrusão da área que é particular.

Além disso, notificou a construtora, para que no prazo mínimo, apresente uma solução para o local.

“Existem problemas e riscos que a empreiteira terá que solucionar”, informou a assessoria.

Rodobens

A assessoria de imprensa da construtora RNI, que se reponsabiliza pelo empreendimento, encaminhou uma nota onde informa que se solidarizou com as 54 famílias que terão que deixar o condomínio Terra Nova, enquanto são apuradas as causas das avarias.

Leia a nota na íntegra:

Nota de esclarecimento à imprensa

 

Em solidariedade aos moradores do condomínio Terra Nova Várzea Grande, na região metropolitana da Cuiabá, a incorporadora e construtora RNI anuncia que vem adotando medidas para dar suporte às famílias afetadas por danos em 54 imóveis do empreendimento. A empresa ressalta que essas ações ocorrem como demonstração de colaboração, enquanto são apuradas as causas das avarias construtivas observadas pela comunidade, e não têm qualquer relação com a garantia das unidades, já expirada. O condomínio foi projetado, construído e entregue em pleno funcionamento há mais de dez anos, de acordo com todos os parâmetros apontados pelas autoridades competentes.

A incorporadora vai realizar nesta sexta-feira (1º) uma reunião com o gestor do condomínio Terra Nova Várzea Grande, para discutir medidas de mitigação dos transtornos aos moradores. Desde já, a RNI compromete-se a dar auxílio de acomodação às famílias que serão removidas de suas residências.

A RNI informa que enviará, na próxima segunda-feira (4), uma equipe especializada ao empreendimento para uma nova vistoria nas casas que apresentam trincas e fissuras. Esse trabalho, que dará continuidade aos esforços já implementados, tem como objetivo dar suporte a análises técnicas.

Em julho, a construtora realizou voluntariamente vistoria no Terra Nova Várzea Grande para apurar possíveis causas aos danos relatados por moradores. Na época, contratou uma empresa de engenharia especializada para fazer uma análise com documentação fotográfica dos imóveis. O laudo elaborado pela consultoria independente indicou que os danos foram ocasionados por movimentação do solo e envolvem as edificações construídas depois da entrega do residencial, em 2009. A companhia não tem conhecimento sobre os métodos e/ou processos adotados nas ampliações ou modificações realizadas após a implantação do condomínio.

A RNI tem profundo respeito pela população do Mato Grosso, onde já lançou mais de 5,5 mil unidades, todas seguindo os mais elevados padrões de qualidade. A empresa sempre esteve e continua à disposição dos órgãos competentes no Estado e em Várzea Grande. E contribuirá para que a situação no condomínio Terra Nova Várzea Grande seja normalizada o mais breve possível.

 

Veja vídeo e fotos

Galeria de Fotos:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:










(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Marcos Krebs  31.10.19 21h22
Rapaz, não se compra obra na planta ....... as construtoras de Mato Grosso estão barrelando, e isso aí não vai dar nada pra construtora, quem vai arcar se é que da para corrigir isso é os moradores. E O MINISTÉRIO PÚBLICO???? ,,,,,, NADA NÉ, SEI !!!!!!

Responder

2
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO