27.02.2020 | 14h34


GERAL / RISCO EM MT

Médica afirma: Sintomas de homem que chegou da Itália são do coronavírus

SES trata caso como 'rumor', mas profissional que vem acompanhando homem de 33 anos que chegou da Itália faz alerta sobre situação


DA REDAÇÃO

A médica que acompanha paciente com suspeita de coronavírus em Alto Taquari, Adenice Farias Prado afirma que os sintomas do homem de 33 anos são sim os relatados nos casos da contaminação em diversos países. Apesar da Secretaria de Estado de Saúde (SES) tratar o assunto como “rumores”, a médica aponta que todos os procedimentos indicados estão sendo seguidos à risca. Uma preocupação é a quantidade de pessoas com a qual o paciente teve contato até porque, após se consultar, ainda acabou sofrendo um acidente e foi levado para o Pronto-Socorro.

O paciente foi consultado por Adenice na tarde desta quarta-feira (26). Ele relatou que esteve em viagem no Norte da Itália, passando inclusive por Milão e Veneza. Nesta última cidade, as festas de carnaval chegaram a ser canceladas devido ao risco de contaminação. Já são 12 mortes naquele país.

O técnico-administrativo, que mora em Alto Taquari, passou férias na Itália. Foi dia 8 e voltou no dia 23 deste mês, dois dias depois que o paciente de São Paulo, que é o primeiro caso confirmado de coronavírus no Brasil, chegou do mesmo país.

Mas o paciente mato-grossense só procurou atendimento ontem, quando sentiu desconforto respiratório por dois dias seguidos. Mas até chegar ao Posto de Saúde da Família do bairro 13 Pontos, e relatar os sintomas para a médica Adenice, esteve em contato com amigos e familiares. Passou por outra unidade de saúde e, no próprio local, onde a suspeita foi levantada, teve contato com profissionais e enfermeiros.

Ele relatou à médica que procurou ajuda por suspeitar dos sintomas e até pensou em usar máscara, mas não quis chamar a atenção.

Ao deixar o posto de saúde, com orientação de seguir para sua residência, um acidente complicou ainda mais a situação. A médica relata que o homem, que estava de moto, acabou sofrendo uma queda, após um motorista abrir a porta do carro e atingi-lo. Ele foi socorrido e levado para o Pronto-Socorro da cidade, sem qualquer proteção respiratória.

Além do desconforto respiratório, o paciente apresenta tosse seca e coriza. Dois dias antes teve quadro febril. “A família dele diz que não são sintomas do coronavírus. Mas estou alertando que são sim”, enfatiza a médica.

Os exames de sangue do paciente foram encaminhados nesta quinta-feira (27) para o Laboratório Gerencial Ambiental (GAL) em São Paulo e a previsão é que os resultados fiquem prontos em cinco dias. A médica enfatizou que não sabe se este tempo é devido à distância.

Ela destaca que não é possível precisar quantas pessoas tiveram contato com o paciente, diante do histórico relatado. E mesmo ela e sua equipe, num primeiro momento, ficaram vulneráveis. Hoje pela manhã, quando foi visitar o paciente, já estava com os equipamentos apropriados.

A médica afirmou que ligaria agora à tarde para saber se o homem tem máscaras suficientes para o período de quarentena, já que não podem ser reaproveitadas. E enfatizou que espera que ele não receba visitas neste momento e, caso insistam, que se protejam.

POSIÇÃO DA SES 

Por meio de nota enviada à imprensa, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio do Centro de Operações em Emergência a Saúde Pública para o COVID-19, informa que está monitorando os “rumores acerca de suspeitos de contaminação da doença em Mato Grosso”. Ressalta que, imediatamente, tem acionado os serviços de saúde local para esclarecimento e tomada de medidas.

A SES informa ainda que todos os casos suspeitos de coronavírus em Mato Grosso foram verificados e, até o momento, nenhum foi enquadrado nas definições preconizadas pelo Ministério da Saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;

Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;

Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

Não compartilhar objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos ou garrafas;

Manter os ambientes bem ventilados;

Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;

Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO