20.02.2018 | 09h49


CASO CONFIRMADO

Macaco morre de febre amarela em Cuiabá; Saúde tenta evitar pânico

A SMS alerta que mesmo com a confirmação, não há motivo para a população entrar em pânico, pois o trabalho de prevenção já vem sendo realizado desde março do ano passado.


DA REDAÇÃO

A Prefeitura de Cuiabá confirmou que o macaco encontrado morto em novembro de 2017 na região do Centro Político Administrativo, estava contaminado com febre amarela. Além disso, houve na época a morte de alguns animais inclusive em áreas verdes ou em seu entorno que ainda seguem sob investigação das causas.

O Ministério da Saúde divulgou nesta semana o relatório que também confirma a morte de um macaco por febre amarela em Mato Grosso e aponta que de julho de 2017 a janeiro de 2018, foram notificados 21 casos de epizootias (epidemia semelhante a que acomete seres humanos, mas que ocorre em animais) no Estado.

Deste total, 7 casos foram descartados, 11 foram dados como causas indeterminadas e dois ainda estão sob investigação.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em 2017 outros dois exames de macacos foram positivos para a doença, um próximo ao Cinturão Verde e outro no Sucuri. De março a dezembro de 2017 foram recolhidos 35 macacos e, neste ano, o número já chega a 12.

“Importante ressaltar que o animal é recolhido na condição de suspeito, ou seja, a confirmação da doença é por diagnóstico laboratorial”, explica Moema Blatt, gestora do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS).

A SMS alerta que mesmo com a confirmação, não há motivo para a população entrar em pânico, pois o trabalho de prevenção já vem sendo realizado desde março do ano passado.

De acordo com a SMS, para evitar a doença, além de vacinar, é importante o uso permanente de repelente para evitar ser alvo do mosquito. A rede municipal oferece imunização gratuita em postos de saúde.

Morte de humanos

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde,  por enquanto é investigado um caso em Mato Grosso, ocorrido no segundo semestre de 2017. O último registro de morte por febre amarela silvestre em Mato Grosso foi no ano de 2009, no município de Feliz Natal.

A febre amarela silvestre é transmitida pelo mosquito Haemagogus, enquanto a febre amarela urbana é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypit, o mesmo que transmite a dengue, a zika e chikungunya.

A SES explica que Mato Grosso é considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde, uma área estratégica de controle vetorial e garante que o Estado tem vacina suficiente para imunizar a população.

A média de cobertura vacinal registrada pela SES é de 75% e os 141 municípios estão abastecidos com a vacina, conforme informação da coordenação de Vigilância em Saúde Ambiental.

A pessoas que forem viajar para as áreas consideradas de risco, precisam receber a dose com antecedência da viagem, pois a imunização passa a fazer efeito 10 dias após a aplicação.

Leia mais

MT vira área de risco e Ministério da Saúde deve começar vacinação

 

 











(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

alexandre  21.02.18 06h56
Antigamente tinha vacinação nos órgãos, foi cortado e tá difícil achar vacina pra febre amarela, mesmo a diluída. Agora todos em zona de riscos, tinha que passar o fumacê em todo o centro político, tem muita área verde..o pânico é combatido com ações, não com propaganda..

Responder

5
1
Fpestragado   21.02.18 09h30
Pânico? Onde? Kkkkkk cada uma.

Responder

2
4
alexandre  21.02.18 06h49
Errado, se o macaco morreu, mostrar também estamos sujeitos a doença,98% do DNA do macaco e humano, são compatíveis, febre amarela em pleno centro político, onde trabalham pessoas, do lado do parque das Águas ? Lembrando que o vetor da doença é o mosquito, não o macaco, que é vítima da doença.

Responder

6
2
Fpestragado   20.02.18 16h21
Como não somos macacos, sem problema.

Responder

3
4

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER