09.09.2019 | 18h40


AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA

Juiz mantém prisão de tenente-coronel acusado de adulterar arma no sistema da PM

Marcos Eduardo Ticianel Paccola é acusado de obstrução da Justiça, falsidade ideológica e inserção de dados falsos em sistema da Polícia Militar.


DA REDAÇÃO

O juiz João Bosco Soares da Silva manteve a prisão do tenente-coronel da Polícia Militar Marcos Eduardo Ticianel Paccola, durante audiência de custódia, realizada no Fórum de Cuiabá, na tarde desta segunda-feira (09). O caso tramita em segredo de justiça.

Paccola foi preso na noite de domingo (08), em Cuiabá, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

A prisão ocorreu no âmbito da “Operação Coverage”, que apura crimes de uma suposta organização criminosa, obstrução da Justiça, falsidade ideológica e inserção de dados falsos em sistema de informatizado da PM.

Investigações realizadas pelo Gaeco e Promotoria Militar comprovam que, no final da tarde do dia 21 de agosto, data em que a “Operação Coverage” foi deflagrada, o tenente-coronel PM Marcos Eduardo Ticianel Paccola, preso no início da noite deste domingo (08), voltou a acessar o Sistema de Registro de Gerenciamento de Armas de Fogo da Superintendência de Apoio Logístico e Patrimônio da Polícia Militar (PM).

Consta no pedido de prisão efetuado pelo MPMT, que o militar promoveu alterações no histórico da arma de fogo de número de série B27551 e número Sigma 896367, vinculada ao boletim reservado 287, em favor do grupo criminoso. A arma teria sido utilizada em sete homicídios, associado ao grupo de extermínio denominado "Mercenários".

“Imprescindível ressaltar que o acesso ao sistema SIRGAF da PMMT ocorreu após a deflagração da Operação Coverage realizada na manhã do dia 21/09/2019, fato este que causa muito espanto e que demonstra de maneira irrefutável que a organização criminosa ora desvelada continua operando mesmo com a atuação deste r.Juízo e Ministério Público Estadual”, argumentaram os promotores de Justiça. 

Por meio de nota, a assessoria da Polícia Militar informou que a Corregedoria do órgão designou um oficial para acompanhar a investigação e uma documentação será juntada aos autos para dar suporte ao inquérito já instaurado em desfavor aos policiais envolvidos no caso.

Leia a nota:

A Corregedoria de Polícia Militar foi informada neste domingo(08) da prisão do tenente-coronel Marcos Eduardo Ticianel Paccola, efetuada pelo Gaeco. Tão logo tomou conhecimento designou um oficial superior para acompanhar os procedimentos, como determinada as normas, e agora está reunindo a documentação relativa a essa prisão para juntar em inquérito já instaurado pela Corregedoria.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER