24.08.2019 | 16h22


VIVE COM SEQUELAS

Hospital terá que indenizar paciente que sofreu AVC após bariátrica

A juíza Olinda de Quadros Altomare Castrillon, da 9ª Vara Cível de Cuiabá entendeu que houve negligência.


DA REDAÇÃO

O Hospital São Mateus foi condenado a pagar R$ 31 mil, a serem corrigidos de juros, por danos morais e materiais ao paciente A.L.F. que sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC), após passar por uma cirurgia bariátrica na unidade de saúde.

A decisão é da juíza Olinda de Quadros Altomare Castrillon, da 9ª Vara Cível de Cuiabá, foi proferida no dia 17. A magistrada entendeu que o hospital foi negligente no atendimento médico, visto que a vítima ficou por mais de 13 horas sem nenhuma intervenção.

O motivo do procedimento cirúrgico foi realizado em julho de 2015, devido à obesidade grau III do paciente.

A mãe do paciente comunicou às enfermeiras que ele não conseguia se mexer e nem se comunicar direito, mas as funcionárias não localizaram o médico e disseram que poderia ser efeito da anestesia que ele recebeu durante a cirurgia.

O paciente alega que teve que desembolsar R$ 1 mil para ser atendido por um médico particular no dia seguinte.

Uma ressonância magnética constatou o AVC.

Em sua defesa, o Hospital São Mateus alegou que não foi responsável pelo AVC sofrido pelo paciente e que não houve omissão no atendimento.

Devido ao AVC, o paciente hoje tem sequelas e não possui coordenação motora do braço direito e sofre com a função diminuída da perna direita.

Diante dos fatos, a juíza entendeu que foi “comprovada a negligência, com fulcro no artigo 487, I do CPC, julgo parcialmente procedente o pedido inicial para condenar o requerido ao pagamento a título de indenização por danos morais, o valor de R$ 30.000,00 (trinta mil reais)”, destaca trecho da decisão. Sinii ainda determinou que fossem pagos R$ 1 mil de indenização por danos materiais.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER