17.04.2019 | 21h30


VEJA VÍDEO

Homem morre após sofrer parada cardiorrespiratória durante pescaria em Mato Grosso

O caso foi registrado no município de Cáceres na tarde de terça-feira (16).


ESTAGIÁRIO

Um homem identificado como Alex de Matos, de 42 anos, morreu após sofrer uma parada cardiorrespiratória enquanto pescava no Rio Paraguai, próximo à praia do Daveron, em Cáceres (217 km da Capital), na tarde de terça-feira (16).

Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima pescava juntamente com a esposa quando começou a passar mal com fortes dores no peito. Assustada, a mulher acionou os militares.

Ao chegar no local, os bombeiros encontraram Alex – dentro de uma canoa - sofrendo parada cardiorrespiratória. No entanto, mesmo com o trabalho de reanimação, o homem não resistiu e morreu logo após dar entrada no Hospital Regional da cidade.

Outro caso

Em março passado, a idosa Maria Rosa de Oliveira de Novais, 61 anos, morreu após o barco em que estava virar, com outras quatro pessoas de sua família, no Rio Araguaia, município de Araguaiana (600 km de Cuiabá).

Segundo o Corpo de Bombeiros, Maria teria feito um grande esforço físico para nadar até a margem do rio, mas sofreu um infarto minutos depois de sair da água.

A embarcação, segundo testemunhas, virou ao passar por cima de troncos e galhos de árvore. Apesar de todos estarem usando coletes salva vidas, os passageiros ficaram embaixo do barco, com isso alguns começaram a se afogar.

O piloto conseguiu retirá-los e levá-los até a terra firma. No entanto, a idosa acabou passando mal. Os bombeiros chegaram a ser acionados, mas quando chegaram ao local Maria já estava morta.

A idosa e a família são de Guapó (GO) e tinha vindo para Mato Grosso passar carnaval.

(*Com supervisão do editor Rafael de Sousa)

Leia também:

Menina de 1 e 7 meses morre após cair em buraco com água











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO