18.07.2019 | 11h16


SERVIDORES AGREDIDOS

Grevistas invadem ALMT aos gritos, xingam governo e tentam arrombar plenário; Veja vídeo

Os sindicalistas xingaram o governo de salafrários e cobraram o pagamento dos salários; Eles estão parados há quase 50 dias


DA REDAÇÃO

Um grupo de servidores que integra o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) tentou invadir o plenário da Assembleia Legislativa na manhã desta quinta-feira (18) para interromper o andamento de uma sessão parlamentar que ocorria na Casa. 

Em um vídeo  é possível ver o momento em que os manifestantes tentam forçar a barreira policial para arrombar a porta do Plenário, além de muita gritaria.

Conforme relatos, houve agressões a servidores da Assembleia que tentavam impedir a entrada dos manifestantes. Por causa da confusão, o presidente da Mesa Diretora, deputado Eduardo Botelho (DEM) chegou a suspender a sessão por alguns minutos e mandou reforçar a segurança. Pelo menos 20 policiais militares estão no local para conter os grevistas.

Conforme apurou o , os manifestantes disseram que teriam se irritado após ser empurrados e começaram a acusar os militares de agressão. No entanto, as duas partes estavam com os ânimos alterados. Uma servidora da Assembleia disse ter sido segurada por um dos professores.

A equipe de Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) também foi acionada. Em seguida, os sindicalistas retornaram para a galeria do plenário. Na tribuna, o deputado Max Russi (PSB) criticou a forma em que os servidores da Educação agiu com a servidora do Legislativo que, segundo o parlamentar, foi agredida.

O deputado petista Lúdio Cabral (PT) defendeu os grevistas, mas pediu calma e repudiou a tentativa de invasão.

Valdeir Pereira, presidente do Sintep, chamou a Assembleia de puxadinho do Governo Mauro Mendes (DEM).  

Grevistas estão acampados há dias na Assembleia Legislativa e têm tumultuado as sessões ordinárias como forma de pressionar os deputados para conseguir negociação com o Governo do Estado pelo reajuste de 7,69% cobrado pela categoria.

Servidores da Educação estão em greve há quase dois meses.

Veja o vídeo: 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

joana  18.07.19 12h19
coitados .... estão sendo feito de massa de manobra pros vermelhos

Responder

2
4

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO