12.07.2015 | 14h49


GERAL / OBRA DO VLT

Governo avalia projeto; previsão do Consórcio é 30 meses para conclusão


DIÁRIO DE CUIABÁ

O chefe do gabinete de projetos estratégicos, Gustavo Oliveira, informou que o governo do Estado está avaliando os projetos básicos e executivos entregues pelas empreiteiras que compõem o Consórcio VLT com a previsão de conclusão da obra em 30 meses. A avaliação está sendo feita pela Secretaria de Cidades, que recebeu do governador Pedro Taques (PDT) a responsabilidade em conduzir as obras da Copa do Mundo. 


“Primeiro, precisamos verificar se é possível concluir o cronograma proposto que é a conclusão da obra em 30 meses a partir da retomada, conforme defendem as empreiteiras. A partir daí, teremos que calcular qual o impacto financeiro disso, porque existem reajustes anuais para entender quanto vai custar essa obra”, explicou Gustavo Oliveira. 

A partir daí, serão avaliados a possibilidade de conclusão das obras e quais valores serão sobrados para se ter uma definição a respeito da retomada. “Saber o período de conclusão exato e a que preço são as chaves para caminhar neste processo”, informou. 

Após uma audiência de conciliação intermediada em abril pela Justiça Federal, o Consórcio VLT se comprometeu em adotar diversas medidas para assegurar a retomada das obras. Com investimentos de R$ 1,477 bilhão, dinheiro que é resultado de um empréstimo contraído pelo Estado junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), o modal de transporte está projetado para percorrer dois eixos que são CPA/Aeroporto e Coxipó/Centro. 

Embora sequer 50% da obra esteja pronta, já foi pago mais de R$ 1 bilhão às empreiteiras. Como o RDC (Regime Diferenciado de Contratação) não permite aditivo financeiro, haverá propostas do Estado às empreiteiras para impedir ilegalidades contratuais. 

O Consórcio VLT reivindica a liberação de mais de R$ 200 milhões para a retomada das obras e alega que a culpa do atraso nas obras é exclusiva do Estado. Levando em consideração o prazo de 30 meses para conclusão a partir da retomada as obras, o VLT deverá ser entregue à população somente em 2018. 

“O Estado planeja retomar essa obra, mas com toda a prudência necessária”, reforça o secretário Gustavo Oliveira. 

As obras do VLT estão prestes a completar um ano de paralisação. Em locais estratégicos como a Avenida Fernando Corrêa da Costa, não houve a desapropriação de imóveis para circulação do trem, em que pese haver trilhos instalados no Viaduto da UFMT. 

O local mais adiantado é a Avenida da FEB, em Várzea Grande, na qual já foram instaladas até mesmo as estações de trem, embora não se tenha nenhuma perspectiva de quando os veículos estarão em plena circulação. 

Inicialmente, a obra do VLT estava programada para ser entregue em dezembro de 2013 e servir como opção de transporte para a Copa do Mundo que ocorreu em junho de 2014, com jogos em Cuiabá. 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO