29.01.2020 | 11h20


SOBRAS DA COPA

Governo ainda não sabe o que fazer com COT do Pari; 'Temos outras prioridades', diz Mauro

Governador declarou ter outras prioridades, neste momento, como investir em hospitais e infraestrutura. Retomada da obra custaria aos cofres públicos mais R$ 20 milhões


DA REDAÇÃO

O govenador Mauro Mendes (DEM) disse que não há previsão de retomada da obra do Centro Oficial de Treinamento Barra do Pari (COT Pari), em Várzea Grande. O projeto orçado em R$ 31,7 milhões fazia parte do pacote de obras da Copa do Mundo, mas está parado desde dezembro de 2014.

Segundo o governador, um estudo esta sendo feito com objetivo de analisar de que forma será utilizado o espaço para que a obra seja reiniciada. No entanto, ele comentou que não vê nenhuma necessidade de mais um Centro de Treinamento na baixada cuiabana.

“Primeiro temos que definir para que ela vai servir. Entendo que Cuiabá não precisa de mais um centro de treinamento. Fizemos a Copa aqui sem nenhum”, disse o governador durante a inauguração do COT da UFMT.

Mauro ainda contou que para retomada da obra seria necessário investimento de aproximadamente R$ 20 milhões, no entanto, ele destacou que o Estado tem outras prioridades.

“Primeiro temos que definir para que ela vai servir. Entendo que Cuiabá não precisa de mais um centro de treinamento. Fizemos a Copa aqui sem nenhum. Ela [a obra] está num estágio muito embrionário para que possa continuar vai demandar muito mais investimentos”, disse o governador durante a inauguração do COT da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), na terça-feira (28).

“Temos que botar dinheiro em hospitais que precisam ser retomados e nas obras de infraestrutura. O governo vai estabelecer prioridades, vamos saber se é prioridade agora concluir aquela obra e qual a destinação a fazer”, acrescentou.

O governador comentou que a conclusão do COT da UFMT, após a construção ficar quase seis anos paralisadas, ocorreu depois da adoção de medidas administrativas ao longo de 2019.

“Temos que botar dinheiro em hospitais que precisam ser retomados e nas obras de infraestrutura. O governo vai estabelecer prioridades, vamos saber se é prioridade agora concluir aquela obra e qual a destinação a fazer”, acrescentou Mauro.

"Ninguém faz obra sem pagar os empreiteiros. Se não tem dinheiro não paga, você não faz obra se não tem boa equipe para gerenciar. Então foi um conjunto de fatores que começou pelas medidas corretas que tomamos ao longo de 2019 que permitiu ao governo equilibrar seu caixa, economizar internamente dentro do governo e fazer sobrar dinheiro para investir em obras", disse.

Estudos

Em agosto, a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) instituiu uma comissão técnica para avaliar a utilização do empreendimento após a sua conclusão.

O secretário da Sinfra, Marcelo de Oliveira, disse a imprensa no ano passado que existem cinco opções que estavam sendo analisadas pela pasta para definir sobre a utilização do local, uma delas seria oferecer para Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para treinamento do futebol feminino. Outra opção seria transferir o local para treinamentos do Corpo de Bombeiros ou para Polícia Militar.

Na época, o secretário explicou que a forma que o centro será utilizado e o retorno das obras do COT da Barra do Pari seriam discutidas após a entrega do COT da UFMT.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO