29.07.2020 | 07h04


GERAL / 30 MIL SEM EMPREGO

Fechamento 'triturou' comerciantes; muitos não vão conseguir reabrir

Fecomércio comenta o impacto nos setores que tiveram que fechar as portas por não serem considerados serviços essenciais


DA REDAÇÃO

O fechamento de 122 dias do comércio 'não essencial' em Mato Grosso provocou bem mais que um impacto no setor, segundo o presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-MT, José Wenceslau Souza Júnior, "realmente significou a trituração de muitos estabelecimentos como bares, restaurantes, lanchonetes, shoppings, academias, escolas particulares, principalmente as maternais e  infantis, que não têm como cuidar das crianças por videoconferência". O reflexo é o desemprego que pode atingir até 30 mil pessoas no Estado.

O presidente adiantou que muitos não conseguirão reabrir as portas, mesmo com a liberação do setor agora, por falta de condições financeiras. “Estão descobertos, despreparados e sem dinheiro em caixa, para pagar aluguel, energia, os encargos da folha de pagamento. Não tinha empresário que tinha capacidade financeira para isso”, afiançou José Wenceslau sobre o inesperado fechamento das portas por mais de cem dias.

“O comércio não é culpado pelo avanço da covid. Nós, comerciantes, empresários do setor, cuidamos dos nossos colaboradores e dos nossos clientes dentro das nossas empresas".

Alguns já estariam procurando ajuda de instituições financeiras para conseguir um auxílio ou empréstimo para fazer caixa, mesmo porque, como lembrou o presidente do Sistema Fecomércio, o dinheiro que veio do Governo Federal já acabou. Ele ainda não tem como informar uma estimativa de empresas que 'quebraram' nesse período, que dependeria da baixa na Jucemat (Junta Comercial do Estado), com a quitação de todos os impostos, mas devido à condição é possível que o empresário não dê conta de fechar oficialmente lá.

"Quem está errado são as pessoas, nos finais de semana, por fazerem aglomeração, irem fazer churrasco, jogar bola, na beira do rio. A população de maneira geral que não tem consciência coletiva”.

Desemprego

O desemprego é ainda outro problema causado pelos 122 dias de fechamento do setor, já que o setor sempre foi responsável por 54% da mão de obra disponível, além do maior contribuinte com 66% do ICMS ( Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Com base na retirada do seguro desemprego, estimam que acima de 20 mil desempregos são resultantes do momento, mas considerando apenas os trabalhadores formais. Somando-se aos informas, o número pode chegar a até 30 mil desempregados no setor, conforme a Fecomércio.

“O comércio não é culpado pelo avanço da covid. Nós, comerciantes, empresários do setor, cuidamos dos nossos colaboradores e dos nossos clientes dentro das nossas empresas. Quem está errado são as pessoas, nos finais de semana, por fazerem aglomeração, irem fazer churrasco, jogar bola, na beira do rio. A população de maneira geral que não tem consciência coletiva”, reclamou o presidente ao lembrar que desde o mês de abril vinham tentando aprovar a reabertura desses comércios.











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Alberto   31.07.20 22h45
Marcio F, imbecil é você. Se não houvesse fechamento, muito mais morreriam. Mas vc deve ser um desses seguidores fanáticos de Bolsonaro. Vai tomar cloroquina que é melhor.

Responder

3
2
Alberto  30.07.20 18h24
O que causa desemprego não é fechamento, e sim a maior pandemia dos últimos séculos. Esses idiotas precisam entender que emprego depois recupera, já mortes, ninguém vai ressuscitar. E muitos ainda vão morrer. Infelizmente estamos vivendo um momento em que o Brasil perdeu a capacidade de indignação

Responder

2
4
Marcio F  31.07.20 15h03
No minimo é aposentado ou funcional publico ! deixa de ser imbecil, vc acha que a fome ou desespero nao mata mais que a Covid-19.

Responder

3
2
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO