13.08.2019 | 15h40


BLOGUEIRA ATROPELOU E FUGIU

Família de menino morto teve que pedir empréstimo para pagar enterro

Um menino de apenas 3 anos morreu após o carro da esposa do ex-deputado Adilton Sachetti atropelar a moto que estava a família no município de Rondonópolis.


DA REDAÇÃO

A família que foi atropelada, no último domingo (11), pela blogueira e esposa do ex-deputado Adilton Sachetti, Lidiane Campos, afirma que nenhum auxílio foi prestado. A influencer bateu com sua Toyota Hilux numa moto que estava Dayane Palmeiras dos Santos, de 35 anos, Marcos Souza da Costa, de 30 anos, e um menino, de apenas 3 anos, que morreu no acidente.

Ao contrário do que afirma os representantes da família Sachetti, o casal alega que não recebeu ajuda e que não tem condições financeiras para comprar os remédios. O velório da criança foi pago com dinheiro emprestado.

“A avó do menino que arrumou o dinheiro para que pudéssemos fazer o velório, mas vamos ter que pagar”, explicou a madrasta da vítima, Dayane Palmeiras.
O pai, Marcos Souza, só consegue pensar na perda do filho.

“Estamos em uma situação terrível. É uma dor sem tamanho”, lamenta.

Questionado pelo  sobre sua situação, ele se limita em concordar que passa por uma humilhação financeira.

Dayane explica que levou 22 pontos no pé, que quebrou em dois lugares e outros 18 pontos no braço. Segundo ela, seu marido deve retornar ao hospital em 15 dias para passar por cirurgia. Marcos Souza, segundo a esposa, já deveria ter feito o procedimento, mas preferiu ir, mesmo machucado, ao velório do filho.

O casal está há dois dias sem medicação, enfrentando fortes dores emocionais e físicas. Segundo eles, só os remédios de Dayane, que anda com muletas emprestadas de tamanhos irregulares, custam R$ 800.

Outro Lado

Conforme a assessoria da família Sachetti, desde a noite do fato o advogado, Wilson Lopes, que os representa, esteve em contato para oferecer todo auxílio que fosse preciso.

Ainda conforme boletim de ocorrência, o advogado esteve presente no local do acidente.

Toda ajuda foi ofertada, mas as vítimas se recusaram e rechaçaram a ideia. Os Sachetti afirmam que querem prestar auxílio.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

joana  13.08.19 19h13
ta parecendo o caso da ex procuradora que atropelou o gari.... falta amor no coracão

Responder

0
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO