03.08.2018 | 15h33


ESTÉTICA FATAL

Família de cuiabana morta em bioplastia processa Doutor Bumbum

Lilian Calixto morreu por embolia pulmonar após passar por bioplastia nos glúteos feita pelo médico Denis Furtado, no Rio de Janeiro.


DA REDAÇÃO

A família da bancária cuiabana Lilian Calixto, 46 anos, que morreu após procedimento estético, entrou com ação judicial contra o médico Denis Furtado, mais conhecido como Doutor Bumbum, que realizou a bioplastia para aumento dos glúteos, no apartamento dele, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Ao , o filho da bancária, Victor Calixto confirmou a medida, mas devido orientação jurídica, preferiu não dar detalhes sobre o processo.

Lilian morreu na madrugada do último dia 15 depois de ser submetida à aplicação de PMMA (polimetilmetacrilato), um polímero, ou fibra sintética, em forma de gel, usada para preenchimento de partes do corpo.

Segundo o laudo do Instituto Médico Legal (IML), a bancária morreu de embolia pulmonar que interrompeu o fluxo sanguíneo no pulmão de Lilian.

Lilian Calixto elevador

Imagens da câmera do elevador mostram que Lilian precisou de ajuda para sair do apartamento.

Contradição

Imagens da câmera de segurança do elevador do apartamento do médico mostram o momento em que Lilian entra no elevador às 22h38 do dia 14 de julho, amparada pela técnica em enfermagem, Rosilane Pereira e pela namorada do doutor Bumbum, Renata Fernandes Cirne.

Logo após entram o médico, a mãe dele, Maria de Fátima e outra mulher que não teve a identidade revelada.

A imagem contradiz a versão apresentada pelo médico, que em vídeos no seu perfil do Instagram relatou que a bancária saiu do procedimento bem, conversando e descendo escadas. Acrescenta que sugeriu à vítima um encontro, e que às 23h30 ela começou sentir queda de pressão.

"A paciente saiu rígida do meu consultório, ela saiu íntegra. Ela terminou o procedimento por volta das 19h20, saiu andando, descendo escadas, conversou, riu, conversou com todo mundo naquela hora, conversou com até outra paciente, se sentiu muito bem. Ela fez o pagamento às oito horas, nove horas, dez horas, às onze horas eu falei: vamos sair? Às 11h30, ela se sentiu mal, sentiu uma queda de pressão, a pressão dela estava 9 por 7, e eu falei: vamos ao hospital para olhar isso, quem sabe tomar um soro para melhorar", disse na publicação.

O caso

Lilian saiu de Cuiabá para o Rio de Janeiro, no dia 14 de julho, para fazer um procedimento estético para aumentar os glúteos. A bioplastia foi feita no apartamento de Dênis Furtado. 

Ela passou mal horas depois e foi levada por Dênis para atendimento em um Hospital D’or. Os médicos realizaram procedimentos para recuperação de Lilian, no entanto, ela morreu na madrugada do domingo (15).

O médico Dênis Furtado foi preso no dia 19, pela Polícia Militar do Rio de Janeiro. Ele estava foragido após a Justiça decretar prisão temporária por homicídio qualificado.

A mãe dele, namorada e a técnica de enfermagem também foram presas.

Leia mais

Laudo do IML confirma morte de gerente cuiabana por embolia pulmonar

Cuiabana precisou ser 'amparada' para ficar de pé ao sair da cobertura do Dr Bumbum; veja vídeo

Justiça nega soltar cúmplice de médico em morte de cuiabana

Filho de Lilian Calixto chama apartamento de médico de 'matadouro'











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

marcia  03.08.18 15h42
Quem será esta mulher não identificada. A mesma que aparece de casaco preto com eles no hospital? Foi testemunha de algo? Precisa investigar.

Responder

0
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO