04.02.2015 | 20h58


ANTIGO JOSÉ MAGNO

Depois de vender terreno para agiota, Silval vendeu área nobre a preço de banana no goiabeiras

No local funcionava a escola estadual José Magno, que foi demolida há cerca de sete anos; terreno fica a 60 metros do Goiabeiras Shopping e valeria R$ 5 milhões; saiu por R$ 600 mil


DA REDAÇÃO

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) parece que tratou o Palácio Paiaguás como se fosse uma imobiliária.

Após a Justiça do Estado ter anulado a venda de uma área feita pelo governo do pemedebista atrás do Hospital do Câncer, agora o Ministério Público Estadual abriu um inquérito para apurar a venda de um terreno de 3.700 metros quadrados por cerca de R$ 600 mil.

Porém, a estimativa é que o local valeria no mínimo R$ 5 milhões. A áera está localizada na Avenida Lava Pés, no bairro Duque de Caxias, em Cuiabá, cerca de 60 metros do Goiabeiras Shopping e menos de um quilômetro da Praça Popular, sendo considerada uma área nobre. Além de ter um dos metros quadrados mais caros da cidade. 

A comercialização do terreno foi feita em 2012 pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e teve o aval do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat), que tinha como presidente na época, Afonso Dalberto.

Ao RepórterMT, a assessoria de imprensa do MPE, informou que o promotor Roberto Aparecido Turim, está investigando o caso.

 

No entanto, não quis fornecer mais informações sobre quem teria comprado o terreno. Nas investigações, o MPE deve requerer mais informações da área a Secretaria Estadual de Educação (Seduc).

 

No local funcionava a Escola Estadual de 1º e 2º José Magno. Em 2008, na gestão de Blairo Maggi (PR), o prédio teve que ser demolido, diante de um possível desabamento. Os alunos foram transferidos para outro prédio, no mesmo bairro.

Além disso, o MPE deve requerer uma avalição financeira imobiliária, para saber o real valor do terreno.

AGIOTA COMPROU POR PECHINCHA

 

Em janeiro deste ano, a Justiça determinou a anulação da venda de um terreno feita em 2013, também, na capital feita pelo ex-governador.. A área é localizada atrás do Hospital do Câncer, na Avenida do CPA.

Na ocasião, o peemedebista vendeu para o agiota Jânio Viegas de Pinho a terra de 72,344 mil metros quadrados por R$ 1,85 milhão. No entanto, a terra foi avaliada em cerca de R$ 30 milhões.

A sentença foi deferida pelo juiz Luís Bertolucci, da Vara Especializada de Ação Civil Pública, que acatou o pedido do MPE.

 

O caso foi denunciado em primeira mão pelo RepórterMT, apurando que na época fez  uma avalição imobiliária, descobrindo que o metro quadrado do terreno deveria valer entre R$ 400 e R$ 500. Mas foi comercializado pelo valor pífio de R$ 15.

 

Logo após fazer a compra do imóvel do Estado, o empresário, que foi investigado pela Operação Ararath, fez a transferência do imóvel para a empresa Karine Participações Societárias. Qualquer descumprimento da decisão judicial cabe multa de R$ 10 mil reais. No entanto, a liminar que anulou a venda, ainda cabe recurso das partes. 

Reprodução

terre

Terreno fica localizado atrás do Hospital do Câncer, na Avenida do CPA.

 

“MULHER TRAÍDA”

À época da venda do terreno, o então governador Silval Barbosa (PMDB) disse, em entrevista ao RepórterMT,  que só tomou conhecimento da questão após o portal divulgar a notícia. 

Silval comentou que após isso, solicitou ao então auditor-geral do Estado, José Alves Pereira, que realizasse um levantamento sobre a legalidade do processo de venda do terreno. Até hoje, não se sabe o que resultou esse levantamento.

LEIA MAIS AQUI

Silval vende área pública que vale R$ 30 milhões por apenas R$ 1 milhão para agiota











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER