26.08.2015 | 16h34


GERAL / RISCO DE CÂNCER

Cuiabá tem índice de UV extremo; dermatologista alerta para doenças de pele

Esse indicador vai de 1 a 14. Nesta quarta-feira (26), por exemplo, chegou a 11. A tabela de cores, que também expressa o nível do índice UV em tons degradês, vai de azul a vermelho escuro. Cuiabá está no alaranjado forte.


DA REDAÇÃO

Os serviços de meteorologia confirmam que, nos últimos dias, a radiação ultravioleta está em nível “extremo”, em Cuiabá que tem registrado altas temperaturas.

Esse indicador vai de 1 a 14. Nesta quarta-feira (26), por exemplo, chegou a 11. A tabela de cores, que também expressa o nível do índice UV em tons degradês, vai de azul a vermelho escuro. Cuiabá está no alaranjado forte.

Quanto mais alto o índice UV, que mede o nível de radiação solar na Terra, maiores os danos causados à saúde, como câncer de pele. Outros problemas menos graves são o envelhecimento precoce e manchas que comprometem a estética facial.

Reprodução

print UV.jpg

Climatempo

Esse indicador vai de 1 a 14. Nesta quarta-feira (26), por exemplo, chegou a 11. A tabela de cores, que também expressa o nível do índice UV em tons degradês, vai de azul a vermelho escuro. Cuiabá está no alaranjado forte.

O alto índice de UV causa câncer porque “a radiação penetra dentro do núcleo da célula e altera o DNA dela, que se prolifera de forma desregrada formando o tumor”, como explica a dermatologista Juliana Mendonça, presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia em Mato Grosso.

 

Segundo a dermatologista, claro que conta a predisposição da pessoa em desenvolver câncer, mas as condições climáticas potencializam isso.

Ela destaca que o câncer de pele geralmente tem tratamento, mas tudo depende do tipo e da fase em que se faz o diagnóstico, como todos os outros tipos da doença.

A médica resalta ainda que na capital mato-grossense a população vive exposta ao alto índice de UV quase sempre, mas nesta época é a situação é mais preocupante.

Como orientação, ela indica fugir do sol o máximo possível em horário de pico solar que é da 10h às 16h. Se não der, ir pela sombra. Usar camiseta filtro, quem puder. Não ter vergonha de colocar óculos, chapéu, boné e usar sombrinha.

 

A dermatologista indica que para fugir dos danos solares é preciso usar camiseta filtro enão ter vergonha de colocar óculos, chapéu, boné, ou usar sombrinha.

 

Facebook

Juliana Mendonça - Dermatologista

Dermatologista Juliana Mendonça avisa dos perigos de de deixar a pele exposta ao sol.

“Com destaque para o protetor solar”, diz a dermatologista, lembrando que esse deve ser o “melhor amigo inseparável” de adultos e crianças. “Observe se ele tem proteção UV A e B também”, ressalta.

Os sintomas do câncer de pele são o aparecimento de ferida que não cicatriza, de pinta que mudou de tamanho ou de cor, nódulo na pele que machuca e que não desaparece.

Quanto aos outros problemas dermatológicos, ela destaca também as irritações e alergias.

De modo geral, uma preocupação é a desidratação. A médica indica tomar dois litros de água por dia, inclusive crianças. Água de coco, por exemplo, pode ser uma delícia, mas ela afirma que a água comum já resolve.

Para melhorar o ressecamento do corpo hidradantes podem ajudar, mas muitos não agem como deveriam e mais “melecam” do que nutrem.

Esta é uma época também de brotoejas e micoses, especialmente em áreas quentes, como as axila e a virilha. Para resolver isso, a dica é usar talco antisséptico.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO