alexametrics
08.02.2016 | 08h00


GERAL / ENCHENTE EM MT

Cruz Vermelha pede roupas, sapatos e água para famílias desabrigadas

Vítimas das chuvas moram na Vila Cardoso, distrito de Porto Espiridião, e na Vila Bela, no município de Vila Bela da Santíssima Trindade.


DA REDAÇÃO

Dezenas de famílias estão desabrigadas na região de Cáceres, por causa das chuvas e de enchentes. Para ajudá-las, a Cruz Vermelha lançou uma campanha pedindo doações principalmente de roupas, sapatos e água, para crianças, jovens e adultos, dos dois sexos, de todas as idades.

As famílias moram na Vila Cardoso, distrito de Porto Espiridião, e na Vila Bela, no município de Vila Bela da Santíssima Trindade. Pelo menos 70 estão desalojadas e abrigadas em uma escola rural. Após a elevação do nível da água dos rios Alegre e Aguapeí, de 10 a 15 casas caíram com a força da correnteza. Há relatos de escolas e pontes detonadas.

Conforme a Cruz Vermelha, esse alagamento de grande porte é incomum, embora já tenham ocorrido outros, de menor impacto, em anos anteriores nas duas localidades.

Houve morte de animais de modo geral e gado, mas não foram registrados casos de vítimas de afogamento.

A estrada, em Vila Cardoso, que liga o distrito a um dos assentamentos, está em situação precária. Então, é também preocupante o fato de boa parte dos moradores estarem praticamente "ilhados".

Fábio Duarte, presidente da Cruz Vermelha em Cáceres, espera que a ajuda chegue rápido, porque a necessidade é grande.

As doações podem ser entregues na sede da Cruz Vermelha em Cuiabá ou em Cáceres.

Telefone para contato: (65) 9651-4076.

TAQUES SOBREVOOU A ÁREA

O governador Pedro Taques conferiu de perto, dia 24 de janeiro, a situação em algumas áreas de risco na região Oeste, afetadas pelas cheias dos rios Aguapeí e Alegre. Acompanhado dos secretários de Estado de Infraestrutura, Marcelo Duarte, de Cidades, Eduardo Chiletto, e de Assistência Social, Valdiney Arruda, o governador visitou as cidades de Pontes e Lacerda, Vila Bela da Santíssima Trindade e Porto Espiridião e montou uma força-tarefa que dará apoio aos municípios.

“Neste momento difícil, é fundamental que o Estado atue rapidamente, de forma estratégica e integrada, para que nenhum mato-grossense fique para trás”, afirmou o governador, que também visitou escolas que estão servindo de abrigo e pousou em três pontos afetados, conversando com os moradores para saber detalhes do ocorrido e apurar as principais necessidades das famílias.

Pontes e Lacerda e Vila Bela já decretaram a situação de emergência. O mesmo será oficializado nos próximos dias para Porto Espiridião. “Estamos tratando de decretar situação de emergência nos municípios e, principalmente, cuidando da distribuição de água e alimentos para as famílias desabrigadas. Já enviamos ao local cestas básicas, água, colchões e cobertores”.

Dados parciais mostram que até o momento são cerca de 40 famílias desabrigadas em Porto Esperidião e Vila Bela da Santíssima Trindade, enquanto em Pontes e Lacerda centenas estão ilhadas em diversas comunidades. O isolamento deve-se pela destruição de 14 pontes nas três cidades e outras 35 danificadas, sendo que 14 estão totalmente intrafegáveis em Pontes e Lacerda.

A Defesa Civil também já está nos locais, auxiliando os desabrigados, que estão alojados em escolas e quadras de esporte. Com o apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), os secretários de Cidades e de Infraestrutura fizeram o sobrevoo com o objetivo de mapear as áreas alagadas.

A pedido do chefe do Executivo, o helicóptero do Ciopaer vai continuar na cidade até quarta-feira (27) para atender as demandas da população. Antes de voltar a Cuiabá, Taques designou uma equipe multidisciplinar para atuar de forma integrada em Porto Esperidião, Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade. Participam membros da Casa Civil, Casa Militar, Secid, Seduc, Sesp, Setas, Sinfra e do Gabinete de Comunicação.

O Núcleo de Ações Voluntárias, coordenado pela primeira-dama Samira Martins, também irá colaborar com doações aos desabrigados. “A Defesa Civil está desde o início dessa operação nas três cidades, agora somamos outras entidades para auxiliar no que for preciso às famílias. Não interessa o número de pessoas, sabemos que há mato-grossenses que precisam de ajuda e nós estamos aqui”, afirmou Taques.

Além destas entidades, o Corpo de Bombeiros também prestará apoio às ações da Defesa Civil nos próximos dias. Nos dias 25 e 26, um helicóptero estará nas regiões que ainda não tiveram informações levantadas para a identificação de comunidade e moradores atingidos. Os bombeiros também auxiliarão na distribuição de água potável e alimentos. “Cuidaremos de concentrar novos esforços do Estado para auxiliar as vítimas desta tragédia. Buscaremos também, por meio do Núcleo de Ações Voluntárias, doações para os desabrigados. Não vamos descansar até que a situação se normalize”, garantiu Pedro Taques.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime