20.02.2016 | 15h30


GERAL / GUIA QUATRO RODAS

Chapada, Nobres e Pantanal estão entre 50 melhores destinos de ecoturismo do Brasil

Revista é a principal referência para quem vai viajar pelo Brasil. O secretário-adjunto de Estado de Turismo, Luiz Carlos Nigro, assegura que a publicação foi espontânea e que o governo recebeu este destaque como uma boa notícia.


DA REDAÇÃO

O Guia Quatro Rodas, da revista da Abril, que é a principal referência para quem vai viajar pelo Brasil, traz, nesta edição comemorativa de meio século, os 50 melhores destinos de ecoturismo do país, entre eles a Chapada dos Guimarães, Nobres e o Pantanal em Mato Grosso.

Segundo a publicação, a Chapada é atrativa por causa das “suas enormes formações rochosas, mirantes e cachoeiras”, que ficam dentro do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, criado em 1989.

Confira aqui os 50 melhores pontos, que mostram como o Brasil tem belezas naturais incríveis.

Segundo a publicação, a Chapada é atrativa por causa das “suas enormes formações rochosas, mirantes e cachoeiras”, que ficam dentro do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, criado em 1989. 

Já Nobres aparece como uma alternativa a Bonito (MS). “O  destino é muito procurado para mergulho e flutuação. Os rios cristalinos cheios de peixes, as grutas e cachoeiras encantam quem visita a cidade” – diz o Guia.

Já Nobres aparece como uma alternativa a Bonito (MS). “O destino é muito procurado para mergulho e flutuação. Os rios cristalinos cheios de peixes, as grutas e cachoeiras encantam quem visita a cidade” – diz o Guia.

No Pantanal, o destaque vai para “as mais de 650 espécies de aves catalogadas na região são apenas um dos motivos para conhecer a região”. Conforme apurou a equipe do Guia, “pesca, safári fotográfico e focagem noturna de animais estão entre os programas mais procurados”.

O secretário-adjunto de Estado de Turismo, Luiz Carlos Nigro, assegura que a publicação foi espontânea e que o governo recebeu este destaque como uma boa notícia, já que tenta fortalecer o setor de turismo. “Temos belezas naturais incríveis, mas reconhecemos que estamos em fase intermediária na organização do nosso trade turístico”, disse ao . O trade turístico é o conjunto estrutural no entorno dos pontos de visitação.

Entre os muitos problemas que ainda devem ser resolvidos estão as estradas que levam aos destinos, voos que ainda ainda não há, a qualidade dos hotéis, restaurantes próximos, a instalação de pontos de orientação ao visitante e de locação de veículos, além da qualificaçlão de todos que lidam com os visitantes, principalmente os guias.

O secretário-adjunto de Estado de Turismo, Luiz Carlos Nigro, assegura que a publicação foi espontânea e que o governo recebeu este destaque como uma boa notícia

Para dar um exemplo comparativo, entre um trade já estruturado e o que precisa melhorar, o secretário cita Nobres e Bonito. “Quanto às belezas naturais são iguais, dois lugares muito bonitos, mas Bonito está há 18 anos trabalhando o turismo, conseguiu um voo que chega lá, fez material de publicidade e já tem um trade extremamente forte, enquanto nós ainda estamos engatinhando”.

O secretário lamenta ainda que os próprios mato-grossenses não deem preferência a viagens internas.

 Mudar tudo isso é uma das preocupações que, segundo ele, o governo está tendo, em prol do fortalecimento do corredor do turismo, composto por Chapada, Nobres, Pantanal e também Jaciara – que não foi citada pelo Guia Quatro Rodas, mas também é destaque nacional devido às suas águas propícias a esportes radicais, como rafting e canoagem.

Arquivo Pessoal

isabel 4.jpg

Professora Isabel visitou os três pontos citados pelo Guia.

A professora aposentada Maria Isabel Werner, de 53 anos, visitou estes três pontos turísticos citados pelo Guia. Na opinião dela, as viagens a Nobres e o Pantanal foram mais interessantes, porque “a Chapada tem muitos pontos turísticos fechados o que prejudica as espectadoras. Mas tem trilhas interessantes e alguns lugares históricos importantes”.

Já Ana Alice Gama, de 21 anos, estudante, não sai da Chapada. “Para mim, tudo é motivo para ir para lá. O maior medo é dos meus pais, por causa da estrada, onde ocorrem muitos acidentes”.

O fotógrafo Rai Reis confirma que esses locais são propícios a altas fotos. “Só a natureza salva o homen do tédio, da depressão, e esses lugares por terem uma beleza cênica superior amplificam essa experiência como um todo, esse sentimento de ligação com o sagrado”, filosofa.

Galeria de Fotos:
Crédito: Assessoria
Crédito: globo.com
Crédito: José Medeiros
Crédito: NatGeo
Crédito: Edson Rodrigues
Crédito: Agência Phocus
Crédito: José Medeiros
Crédito: Marcos Bergamasco
Crédito: Marcos Bergamasco
Crédito: secom
Crédito:










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO