11.10.2014 | 18h53


FELIZ DIA DAS CRIANÇAS

Bebê da caixa de sapato é adotado e já tem novo lar em Cuiabá

Menina com apenas 4 dias de vida foi abandonada em terreno da periferia dentro de uma caixa de papelão e foi levada para o Lar da Criança, onde ficou por cerca de 30 dias recebendo cuidados



A menina que foi abandonada no último dia 20,  dentro de uma caixa de sapato, em terreno baldio perto no residencial Belita Costa Marques, região periférica de Cuiabá, com apenas quatro dias de vida, vai ter um feliz dia das crianças, neste 12 de outubro.

Depois de todo o sofrimento que passou, a criança, que recebeu nome de Luiza, definido pela juíza Gleide Bispo Santos, da Vara da Infância e da Juventude, agora, vive em uma confortável casa de condomínio fechado com os novos pais. 

Luiza já recebeu novo e definitivo nome que, por razões de segurança e preservação da criança, não será divulgado. A adoção do bebê seguiu os trâmites legais.

O casal estava numa lista de espera e era o próximo da fila. Os pais adotivos não têm outros filhos e possuem boa situação financeira e educacional. "Eles ficaram extremamente felizes com a bebê que, com certeza, vai ser recompensada por tudo que passou com muito amor e carinho da nova família", disse um menbro do Conselho Tutelar.  

ABANDONO

A menina foi encontrada na noite do dia  20 de agosto em um campo improvisado de futebol, dentro de uma caixa de sapato e enrolada com um lençol do Hospital Universitário Júlio Müller.

Ela foi encaminhada por populares para o Lar da Criança, na Capital, onde recebeu cuidados médicos do pediatra da instituição, doutor Paulo Ponce. O bebê estava com centenas de picadas de formiga pelo corpo. A mãe biológica ainda não foi localizada pela Polícia, mas ainda está sendo procurada e pode pegar até três anos de cadeia.  

O delegado Eduardo Botelho, da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (DEDDICA) de Cuiabá, infornou, ao RepórterMT que continua com as diligências. 

“Seguimos com os trabalhos investigativos, porém está muito difícil saber o paradeiro dos pais biológicos, já que o lugar onde o bebê foi achado, não tem nenhum estabelecimento ou residência com circuito de câmeras”, explicou. 

LAR DA CRIANÇA E ADOÇÃO

A instituição mantida pelo governo do estado abriga atualmente 55 crianças. Em maio eram 111 crianças. Boa parte foi adotada e/ou reintegradas às familias. O Lar recebe crianças de zero a 12 anos, que se encontram em situação de risco, seja dentro das próprias famílias ou mesmo nas ruas, abandonadas, como no caso de Luiza.

Para adotar uma criança, os interessados devem procurar o Juizado da Infância e qualquer cidade de Mato Grosso e preencher um cadastro, que é nacional. Os candidatos passam por avaliação psicossocial e aguardam numa lista de espera e, quando aparece uma criança dentro do perfil compatível com o do cadastro das pessoas, o juizado chama para entrevista e definição dos novos pais.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER