20.01.2020 | 15h50


TERREMOTOS EM MT

Barão e mais 3 cidades têm falha geológica e terra pode tremer a qualquer momento

Informação é do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília. Porto de Gaúchos, Nova Maringá e Tabaporã também estão sujeitas. Tremor de 3 pontos foi registrado em Barão de Melgaço nesta segunda


DA REDAÇÃO

Um dos responsáveis pelo Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (Obsis/UNB), professor Lucas Vieira Barros, explicou ao  que, o terremoto de 3 pontos na escala Richter em Barão do Melgaço (110 km de Cuiabá), na manhã desta segunda-feira (20), foi causado devido a uma falha geológica onde a terra se quebra, causando rompimento que gera ondas sísmicas e faz o chão tremer.

“Em Mato Grosso existem lugares onde a terra tremeu no passado, treme no presente e vai tremer no futuro”, completou.

Ele destacou que terremotos são comuns em que cidades como Barão de Melgaço, Porto de Gaúchos, Nova Maringá e Tabaporã. No caso de Barão essa foi a segundo vez que a terra tremeu, a primeira foi em 2018 quando registrou 3,1 pontos de magnitude.

“Os terremotos não podem ser previsto. Eles ocorrem em função da ruptura da crosta [terrestre], em uma região de fraqueza, onde há uma falha geológica. A terra se quebra, causando um rompimento que gera ondas sísmicas e faz o chão tremer”, explicou.

“Em Mato Grosso existem lugares onde a terra tremeu no passado, treme no presente e vai tremer no futuro”, completou.

Apesar do tremor desta segunda-feira ter durado apenas quatro segundos, foi o suficiente para causar pânico em centenas de moradores da cidade.

Os terremotos não podem ser previsto. Eles ocorrem em função da ruptura da crosta [terrestre], em uma região de fraqueza, onde há uma falha geológica. A terra se quebra, causando um rompimento que gera ondas sísmicas e faz o chão tremer”, explicou.

Em relação à magnitude, o professor-doutor ressalta que tudo varia de acordo com o tamanho da falha e da ruptura, quanto maior, mais intenso será o tremor de terra.

“Como essas falhas são de diferentes tamanhos, quanto maior o tamanho maior a magnitude”, argumenta.

Prevenção 

Não há como antecipar os abalos sísmicos, nem sua magnitude, no entanto, o professor aponta que há regiões que podem ser identificadas como possíveis áreas de terremoto. Um mapa foi disponibilizado pelo Obsis/Unb, e a dica do especialista é de que as casas, nesses locais, sejam construídas para suportar os terremotos.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO