14.07.2016 | 07h58


GERAL / FINALMENTE

Avenidas destruídas por obra do VLT começam a ser recuperadas; trabalhos terminam em agosto

Serão investidos R$ 13 milhões em recapeamento e paisagismo. O governo entrou com R$ 8,5 milhões e a prefeitura com o restante



As avenidas Tenente Coronel Duarte (Prainha) e Historiador Rubens de Mendonça (CPA), entre a Avenida Dom Bosco até a Rua José Estevão Torquato, na entrada do bairro Novo Paraíso, finalmente começam a receber nova camada grossa de asfalto, depois de mais de três anos de destruição, causada pela fatídica obra do VLT.

A idea de recuperar as duas avenidas, que seriam os principais corredores do modal que nunca termina, surgiu no final do ano passado, depois de o prefeito Mauro Mendes (PSB) ser questionado na TV, pelo Programa Conexão Poder, sobre a inércia da prefeitura em relação à obra, que rasgou as principais artérias da cidade para nada e deixou um aspecto de cenário de guerra na Capital de MT. A partir de então, o prefeito buscou convênio com o Estado para revitalizar as duas vias. 

Serão investidos R$ 13 milhões em recapeamento e paisagismo. O governo entrou com R$ 8,5 milhões. Também está sendo realizada a recuperação de calçadas e meio-fio. No total serão recapeados 5,3 KM. A previsão é que as obras, em todos os trechos, sejam 100% concluídas até o início do mês de agosto. A fatura, quando a obra do VLT for retomada, será cobrada do Consórcio responsável. Foi exatamente essa sugestão e questionamento para o prefeito durante o programa na TV. "Passe o trator, arrume as avenidas e mande a conta para o consórcio", sugeriu o Conexão. 

Pedimos a compreensão da população nestes próximos dias. Sabemos que gera alguns transtornos, mas são momentâneos e logo, teremos uma avenida com qualidade e segurança”

OBRAS

As obras tiveram início na última quinta-feira (07). No momento, os trabalhos estão sendo realizados entre as Avenidas Dom Bosco e Tenente Coronel Duarte , subindo a Rua Clóvis Hugueney até a Santa Casa da Misericórdia e descendo até a Praça Bispo Dom José, tomando novamente a Prainha até o Morro da Luz. 

No segundo trecho, entre a entrada do bairro Morada do Ouro, próximo à Praça das Bandeiras, até o Viaduto Jamil Boutros Nadaf (em frente à Sefaz), acessando a Rua L, entrada do Hospital Júlio Muller, que teve início na quarta-feira (06), as obras estão adiantadas. Os dois trechos serão 100% concluídos neste fim de semana, com exceção do sentido Porto, na altura do Morro da Luz, que será finalizado até sexta-feira (22).

Segundo o assessor especial da Secretaria de Obras, Júlio Malheiros, os trabalhos estão sendo executados em três períodos e aos finais de semana. Ele explicou que mesmo em horários de grande fluxo é preciso executar os trabalhos, pois assim a equipe consegue intensificá-los, evitando lentidão das obras.

“As obras tiveram um pequeno atraso do que estava previsto por causa de processos administrativos, como contratos de concessões. Isso é normal. Mas estamos nos empenhando, dentro do possível, para que tudo saia de acordo com o previsto. Pedimos a compreensão da população nestes próximos dias. Sabemos que gera alguns transtornos, mas são momentâneos e logo, teremos uma avenida recapeada, onde poderão trafegar com qualidade e segurança,” explicou Júlio.

Ainda segundo Júlio Malheiros, nos três períodos de trabalho, os agentes de trânsito estão presentes, "orientando os condutores, evitando congestionamentos para o fluxo seguir normalmente", finalizou.  

As obras de recapeamento fazem parte de um Termo de Compromisso assinado entre Prefeitura de Cuiabá e governo do Estado, que inclui também as Avenidas Fernando Corrêa e Coronel Escolástico. No total, serão investidos R$ 13 milhões nas obras, sendo R$ 8,5 milhões do Estado, para compra de materiais e a  contrapartida de R$ 5,5 milhões do município, aplicados em mão de obra.











(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Mazeh  14.07.16 11h08
É sempre assim. Claro que precisa recuperar só que é evidente que deixou pra fazer o barulho nas vésperas da eleição, de novo. Meu voto? Não.

Responder

3
1
Admar  14.07.16 09h53
Quero saber o que será feito para retribuir o prejuízo da população, não somente o prejuízo financeiro mas o prejuízo, ambiental, moral, ético, cultural e etc......

Responder

8
1
Marquinho2 olho aberto  14.07.16 09h27
É desse jeito. Depois o Mauro Mendes falastrão, vem na TV e fala que nunca se fez tanto asfalto em Cuiabá, como ele ta fazendo.O cara deixa bairros com Dom Bosco registrado em cartório, no centro de Cuiabá abandonado, sem um metro de pavimento e sem esgoto, pra fazer asfalto a onde ja tem asfalto grosso feito por administração anteriores.É falta de critérios administrativo mesmo. Fazer kilomentros de asfalto, em cima de asfalto, em detrimentos de outros bairros.O chico Galindo, deixou em caixa e 12.214.000,00 para asfaltar o Dom Bosco a Trimec ja tava até trabalhando, ai MM veio e mandou para a obra com desculpa da chuva e nunca mais. Cadê o dinheiro que tava no contrato 4294/12, pregão presencial 038/12. hen! Os moradores, estão até abandonando o bairro, por que não tem infra estrutura digna de se morar.

Responder

4
4

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO