11.06.2017 | 07h50


ENTREVISTA / TEMENDO FRAUDES

Vuolo diz que projetos da Cultura terão que passar por rito rigoroso de fiscalização

Preocupado com a prestação de contas, o novo secretário de Cultura de Cuiabá, Francisco Vuolo, disse que irá adotar medidas para evitar fraudes e corrigir distorções durante as prestações de conta de incentivos culturais.


DA REDAÇÃO

O secretário Cultura, Esporte e Turismo de Cuiabá, Francisco Vuolo, que assumiu a pasta na última semana, afirmou em entrevista ao , que nos próximos meses a secretaria deve adotar medidas mais 'duras' para evitar fraudes e corrigir distorções durante as prestações de contas dos projetos, que são fomentados por meio do chamado incentivo cultural.

“Só vamos liberar [recursos] quando tivermos a segurança de que o Conselho e os projetos de fato cumpram o papel de atender as políticas culturais”, declarou Vuolo.

Somente para 2017, segundo o secretário, a Prefeitura de Cuiabá disponibilizou R$ 1,5 milhão a fundo perdido. No entanto, o valor só será liberado após a formação do novo Conselho Municipal e a adoção de novas regras. 

“Só vamos liberar [recursos] quando tivermos a segurança de que o Conselho e os projetos de fato cumpram o papel de atender as políticas culturais”, declarou Vuolo.

Para o novo chefe da pasta, as mudanças são necessárias para que os projetos, que futaramente serão apresentados, atinjam um nível de qualidade em sua confecção. Para que não haja prejuízo para nenhuma das partes, os produtores culturais terão acompanhamento da secretaria, do início até a execução do projeto e, posteriormente, a cobrança da prestação de contas, um dos processos mais delicados.

“Nós precisamos fazer com que as pessoas entendam que o papel do conselho é fundamental e tem que ser feito de forma responsável para preservar a imagem”, destacou.

“Porque não adianta aprovarmos projetos que não poderão ser executados. Então tudo isso irá passar por um rito interno e temos experiência para analisar e orientar o produtor”, completou Vicente Vuolo.

Outro detalhe importante, citado pelo secretário na entrevista, é o fato de encontrar pessoas que queiram fazer parte do Conselho Municipal, já que quem participa não pode apresentar projetos com incentivos da Prefeitura.

“Nós precisamos fazer com que as pessoas entendam que o papel do conselho é fundamental e tem que ser feito de forma responsável para preservar a imagem”, destacou.

No bate-papo, Vuolo também fala a criação do “Comitê Cuiabá 300 anos”, promessa de campanha do prefeito Emanuel Pinheiro e que está em ‘marcha lenta’.

 

Confira abaixo a entrevista completa com o novo secretário de Cultura:

 

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Pedro Felix  11.06.17 09h52
Não adianta só fiscalizar a prestação de contas Sr. Secretário politico indicado, o que se deve fazer é escolher de forma democrática e com lisura e principalmente transparência os membros do Conselho Municipal de Cultura, pois ai está o gargalo da escolha, pois no governo passado por exemplo, foram escolhidos figurinha carimbadas que participaram da campanha do mesmo, e até de maneira cruzada livros sendo editados via determinada editora, mas pertencendo a servidor de Secretaria Municipal. Faça o rastreio no Diario Oficial e vejam a pouca vergonha.

Responder

2
0

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO