13.12.2019 | 08h00


ENTREVISTA / MÁFIA NA SANTA CASA

Toninho: É caso de polícia; provas da CPI vão gerar operações e prisões

O parlamentar explica as irregularidades constatadas pela CPI da Santa Casa. As provas foram encaminhadas ao Ministério Público e Defaz.


DA REDAÇÃO

vereador de Cuiabá, Toninho de Souza (PSD) afirma, em entrevista ao , que as provas, levantadas pela CPI da Santa Casa e encaminhadas ao Ministério Público e à Delegacia de Crimes Fazendários (Defaz), devem culminar em prisões de envolvidos em fraudes e irregularidades na gestão do hospital, que era filantrópico, e chegou a ficar quatro meses fechado por falta de dinheiro.

Entre os indícios de irregularidades, Toninho aponta que a instituição filantrópica tinha cerca de 10 contas bancárias, o que é incomum. O sigilo dessas contas deve ser quebrado pelo MP.

“Isso é caso de polícia. Outra coisa importante: Recebiam para prestar os serviços, mas esses serviços tinham números maquiados, atendimentos maquiados. Para receber o dinheiro na Secretaria Municipal de Saúde, eles produziam o documento, produziam o papel, mas a cirurgia em si não era realizada. Então era usar o sofrimento do povo para ganhar dinheiro”, declara Toninho.

Na entrevista, o vereador detalha uma série de irregularidades que levou ao caos financeiro da Santa Casa, que fechou as portas e prejudicou o atendimento de alta complexidade em toda a rede municipal e também estadual.

Ao , Toninho também fala de dois projetos de sua autoria, que tramitam na Câmara de Cuiabá, a proibição de fumar em parques públicos e a implantação de um hospital veterinário público.

Veja a entrevista na íntegra:











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Henrique Dias  16.12.19 06h42
E nas obras? Tava tudo certo? Investigaram alguém?

Responder

0
0

TV REPÓRTER

Enquete

REMÉDIO POLÊMICO

Você tomaria hidroxicloroquina caso contraísse Covid-19?

Sim. O remédio está no mercado há 70 anos

Não. O remédio não tem comprovação de pesquisa para Covid

Não. Cloroquina é o remédio do Bolsonaro

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO