20.08.2017 | 08h35


ENTREVISTA / MATEMÁTICA DA FELICIDADE

Terapeuta dá dicas de técnicas para uma vida plena; veja vídeo

A coach e terapeuta, Elen Lisboa, explica que as terapias complementares são aliadas na busca pela plenitude humana e trabalham a distorção da percepção da felicidade.


DA REDAÇÃO

Técnicas alternativas de autoconhecimento e concentração vêm sendo reconhecidas no campo científico como terapias complementares para a plenitude humana. A coach e terapeuta Elen Lisboa destacou, em entrevista ao , que a meditação, por exemplo, tem sido reconhecida pela psiquiatria e cada vez mais pesquisas comprovam seus benefícios fisiológicos, como o aumento de densidade das regiões do cérebro que proporcionam paz.

"Somos redesenháveis, todo mundo pode mudar, as mudanças acontecem quando as priorizamos. Temos capacidade de criar novas percepções. Somos completamento viciados em nossas emoções", concluiu.

Elen Lisboa também esclareceu sobre a pranaterapia, uma técnica de medicina energética para equilibrar e transformar os processos do corpo, e ainda a utilização do sal como um filtro de energia.

Há oito anos atuando com Constelação Familiar, a terapeuta explica que a técnica percebe o indivíduo compondo um sistema e sendo composto por ele, numa perspectiva que nos permite compreender que tudo que vivemos é uma continuidade do que vem sendo vivido. 

Ela abordou os relacionamentos afetivos, em que os modelos sociais que trazemos do casamento não fomentam a ideia do incluir e sim do excluir.

Na entrevista, Elen comentou sobre a busca constante do ser humano pela felicidade, o exercício da gratidão e do perdão.

"Somos redesenháveis, todo mundo pode mudar, as mudanças acontecem quando as priorizamos. Temos capacidade de criar novas percepções. Somos completamento viciados em nossas emoções", concluiu. 

Confira e entrevista na íntegra:

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO