08.02.2020 | 08h00


ENTREVISTA / CPI DA PREVIDÊNCIA

Relatório de 37 anos atrás mostra roubo e pode virar caso de polícia

CPI de 37 anos atrás apontou série de irregularidades e a CPI de agora vai usar esses dados para analisar o que foi feito e quem pode ser punido por isso.


DA REDAÇÃO

Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), realizada por deputados estaduais, há 37 anos atrás, mostrava série de irregularidades e corrupção na Previdência dos servidores Públicos de Mato Grosso, que hoje tem déficit de R$ 48 bilhões, segundo o Governo do Estado, sendo de R$ 1, 300 bilhão a o mês.

Ao , o presidente da CPI da Previdência, deputado João Batista (PROS) afirma que esse relatório de décadas atrás será usado agora para analisar se as recomendações da investigação foram cumpridas e quais órgãos teriam deixado de tomar providências para evitar o rombo atual. Os responsáveis também poderão ser punidos pelas irregularidades, com processos criminais e a devolução de bens. Isso se os crimes não tiverem prescrito, já que o relatório tem mais de 30 anos.

“Temos prazo para os processos criminais, mas aqueles que dizem respeito à administração pública, eles têm prazo totalmente diferente e então, nesse caso de desvio público, o prazo é muito mais elástico”, comenta o deputado.

Com o comparativo das investigações da década de 80 e a realizada agora, o deputado diz que irão propor mudanças na legislação estadual para reduzir o impacto da Reforma da Previdência aos servidores estaduais.

Veja a entrevista:

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Cleber  11.02.20 07h48
Tem que devolver o dinheiro aos cofres públicos, pois é um bem pertencente ao Erário, que está fazendo falta para aposentadoria.

Responder

2
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO