18.02.2017 | 09h10


FIM DA CRISE

Presidente da CDL prevê reação econômica de MT EM 2017; veja vídeo

Nelson Soares também compara o cenário econômico de Mato Grosso em relação ao nacional e ressalta a necessidade de reformas trabalhista e previdenciária.


Da Redação

Apesar dos reflexos do cenário de crise nacional, o recém-empossado presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL), Nelson Soares Junior, afirma em entrevista ao que os empresários estão confiantes de que em 2017 irão conseguir reagir financeiramente.

“Empresário fechando porta, empregado perdendo emprego, consumo diminuindo, um ciclo que tem de estagnar. Nós esperamos que 2016 tenha sido um aprofundamento da crise de 2015, o fundo do poço, e alguns indicadores mostram que 2017 não será um ano tão ruim como foi 2016”, explica o presidente da CDL.

“Empresário fechando porta, empregado perdendo emprego, consumo diminuindo, um ciclo que tem de estagnar. Nós esperamos que 2016 tenha sido um aprofundamento da crise de 2015, o fundo do poço, e alguns indicadores mostram que 2017 não será um ano tão ruim como foi 2016”, explica.

Para ele, o represamento que ocorreu nos últimos anos, vai impulsionar para 2017 o início de um novo cenário.

“Até 2018, os investimentos estarão a pleno, teremos mais empregos, precisamos abaixar o índice de 13 milhões de trabalhadores sem carteira assinada, e esse número sobe para 20 milhões, quando se avalia juntamente ao mercado informal”.

“O empresário está mais flexível com o consumidor, negociando melhor com as indústrias, nessa hora de aperto todo mundo tem que se ajudar para sairmos o mais rápido possível do buraco que meteram a gente”.

Nelson ressalta que a crise política que o país atravessou custou caro aos brasileiros. “Preocupado em salvar sua pele, o Governo abandonou a política econômica”, pontuou.

O presidente da CDL- Cuiabá diz ser urgente resolver problemas de ordem fiscal, trabalhista e previdenciário. Por outro lado, o empresário tem de se reinventar, procurar cada vez mais entender qual a necessidade do seu consumidor,  tornando mais fácil a aquisição de seu produto.

“Se ele parar,  morre, ainda mais nesse mundo eletrônico, em que as coisas acontecem com muita rapidez”. Em março, comentou Nelson, acontece a segunda edição do Liquida Grande Cuiabá, que vai alcançar os comerciantes da capital e de Várzea Grande. "Uma grande ação que saltou de 700 lojas do ano passado para 1.500 em 2017".

Em relação à inadimplência, dados referentes a janeiro/2017, com informações de todas as bases às quais o SPC Brasil tem acesso, mostram que  número de inadimplentes de Mato Grosso caiu -3,00% em janeiro de 2017, em relação a janeiro de 2016. O dado ficou abaixo da média nacional, que foi de 0,84%.

O presidente chama a atenção que além do não endividamento, houve uma mudança de comportamento do consumidor, que está controlando suas finanças com mais critérios. “O empresário está mais flexível com o consumidor, negociando melhor com as indústrias, nessa hora de aperto todo mundo tem que se ajudar para sairmos o mais rápido possível do buraco que meteram a gente”.

O número de dívidas em atraso na região também recuou em janeiro de 2017. A queda foi de 5,57%. O indicador chegou a mostrar crescimento de 7,12% em fevereiro de 2016 e, a partir de então, seguiu desacelerando. Desde outubro do último ano, o indicador tem mostrado variações negativas em torno do patamar de 5%.

Na entrevista, Nelson Soares falou também sobre a Reforma Tributária, apresentada pelo Governo do Estado, cuja efetivação deve acontecer em 2018 e a expectativa quanto à reforma tributária nacional, partindo da unificação do ICMS.

Confira a entrevista na íntegra:

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER