23.05.2020 | 08h00


ENTREVISTA / CARGA TRIBUTÁRIA

Fecomércio: Se a mercadoria é cara, a culpa é do Estado; veja vídeo

O presidente da Fecomércio defende que o Estado seja mínimo e que cobrando menos, todos cidadãos e empresários possam lucrar mais.


DA REDAÇÃO

Diante das diversas dificuldades dos comerciantes durante a crise do coronavírus, o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio), José Wenceslau Júnior critica, em entrevista ao , que o alto ICMS, cobrado pelo Governo do Estado, tem reduzido ainda mais as vendas porque o produto nas lojas fica mais caro do que na internet e os clientes têm preferido comprar virtualmente para economizar de 30% a 40%.

O presidente da Fecomércio defende que o Estado seja mínimo e que cobrando menos, todos cidadãos e empresários possam lucrar mais.

José Wenceslau pontua que os empresários têm sido mal interpretados pela sociedade e pede que observem que as empresas são as grandes geradoras de emprego e renda no país.

Aos empresários, ele pede serenidade para enfrentar essa crise e manter seus comércios até que a economia comece a reagir no último trimestre deste ano, quando os índices de coronavírus reduzirem.

Veja a entrevista na íntegra:











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO