06.01.2020 | 12h00


ENTREVISTA / CPI DA ENERGISA

Deputado fala em pedir fim dos serviços da empresa em MT

Segundo o presidente da investigação parlamentar, Elizeu Nascimento, em um prazo de seis a oito meses, a investigação chega ao fim e o relatório final da CPI deve pedir o rompimento do contrato de concessão.


DA REDAÇÃO

deputado Elizeu Nascimento (DC), que é presidente da CPI da Energisa, na Assembleia Legislativa, afirma em entrevista ao RepórterMT, que a investigação parlamentar está apenas no início, mas o material recolhido até o momento já é o suficiente para pedir a quebra da concessão do serviço de energia elétrica, em Mato Grosso, à empresa Energisa.

“ Esperamos é que faça sim esse pedido, porque hoje o que nós já recebemos de representações, questionamentos e denúncias, contra a Energisa, já seria o suficiente”, destaca.

Na entrevista o deputado relata as denúncias mais preocupantes que estão sendo investigadas e comenta sobre a troca de informações, com comissões parlamentares de outros estados, como Rondônia, Acre e Goiás, onde também ocorrem investigações relacionadas ao serviço prestado pela Energisa.

Em Mato Grosso, a expectativa inicial é de que a investigação seja concluída e o relatório apresentado em cerca de seis meses.

Veja a entrevista:











(4) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

João Mello  08.01.20 04h25
Tá se achando a última bolacha do pote. Baixa um pouco a bola milico. A eleição é só daqui a quase três anos..

Responder

2
1
Fenix  07.01.20 13h58
NA MINHA CASA NAO SUPORTO MAIS O AUMENTO EXAGERADO DO VALOR DA ENERGIA. JA RECLAMEI A EMPRESA QUE MANIFESTOU APENAS ARGUMENTANDO QUE A OSCILACAO SE DA POR CAUSA DO FOCO DE CALOR. ACONTECE QUE NAO GOSTO DE AR CONDICIONADO EM RAZAO DE PROBLEMA RESPIRATORIO E USO APENAS 2 VENTILADORES EM CASA E SOMENTE A NOITE E A GELADEIRA É NOVA TENDO A GARANTIA DE SER ECONOMICA. TA NA HORA DE DESMASCARAR ESSA EMPRESA QUE ROUBA A SOCIEDADE DE MT ONDE , NAO OBSANTE AS PESSIMAS CONDICOES DE ENERGIA, TEMOS QUE ENFRENTAR O VALOR EXORBITANTE MAS FATURAS E TAMBEM A COBRANCA DE IMPOSTOS EM DUPLICIDADE E TAMBEM OS SERVICOS QUE A ENERGISA QUEM DEVERIA PAGAR.

Responder

3
0
Pardal  06.01.20 13h57
É preciso moralizar essa situação, pois o Povo de Mato Grosso não aguenta mais ser enganado e pagar uma energia com grande onerosidade. Pagamos pelo que não consumimos com compra de energia, encargos altíssimos referentes a própria empresa.

Responder

10
2
joana  06.01.20 13h43
com ou sem energisa o que pesa nos nossos bolsos é o ICMS

Responder

13
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO