10.12.2019 | 18h35


ALEGOU DEPRESSÃO

Servidora que acusou Emanuel de comprar votos para cassar Abilio tira licença médica



A servidora Elizabete Maria de Almeida, que trabalha no Hospital São Benedito, que registrou boletim de ocorrência afirmando ter testemunhado uma suposta compra de votos para cassar o mandato do vereador Abílio Júnior (PSC), apresentou um atestado médico que pede seu afastamento do trabalho, por 40 dias, para tratamento médico.

No documento, a médica cita que a servidora esteve em consulta psiquiátrica na última segunda-feira (02) e iniciou com sintomas ansiosos e depressivos há aproximadamente uma semana e, desde então, tem encontrado dificuldades para retornar ao trabalho.

A coluna procurou a assessoria do Hospital São Benedito, mas até o fechamento não tivemos a confirmação do afastamento da servidora. Também não conseguimos contato com Elizabete.

Elizabete Maria é uma das testemunhas ouvidas pela Comissão de Ética do Legislativo cuiabano no processo de cassação de Abílio por quebra de decoro parlamentar.

Durante oitiva, ela contou que teria presenciado uma articulação de compra de votos por parte do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) para cassar o mandato de Abílio. O fato teria ocorrido em uma festa na casa de Juca do Guaraná, no condomínio Belvedere.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO