01.04.2019 | 10h50


MUDANÇA NA DEFESA

Senadora pede que TRE adie julgamento que pode cassar mandato



A senadora de Mato Grosso, Selma Rosane Santos Arruda (PSL) pediu para o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) adiar o julgamento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) contra ela, que está na pauta do Pleno de terça-feira (02).

A AIJE investiga denúncia de abuso de poder econômico e gastos ilícitos, por suposto caixa dois na campanha da senadora e seus suplentes.

No pedido protocolado nesta segunda (1º), a defesa alega troca de advogados. Selma informa que houve renúncia do representante anterior e pede direito à defesa técnica e ampla e acesso aos autos.

A Procuradoria Regional Eleitoral, por meio do procurador Raul Batista Leite, pediu a cassação da senadora e seus suplentes, em alegação final realizada no dia 25 de fevereiro.

Os novos advogados da senadora afirmam que necessitam estudar as 1.300 páginas do processo, mais um apenso que está reunido com ação, totalizando 2.000 páginas. A defesa argumenta que nesse tempo é impossível uma análise minimante razoável que permita o contraditório, para sustentação oral no dia 2 de abril.

Ainda, a defesa relata que foi determinada a oitiva da testemunha Helcio Campos Botelho por meio de carta precatória, a qual foi delegada a competência de realizar a oitiva para a 18ª Zona Eleitoral de Brasília-DF.

A senadora agora é representada pelos advogados: Mauro Moreira Oliveira, Narciso Fernandes Barbosa, Apollo Bernardes da Silva.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER