17.04.2019 | 18h20


DINHEIRO PÚBLICO

Secretário da Semob recebe salário de R$ 142 mil em março



O secretário de Mobilidade Urbana (Semob) Antenor de Figueiredo recebeu de salário bruto da Prefeitura de Cuiabá, apenas no mês passado, cerca de R$ 142,3 mil.

A 'bolada', que aparece no contracheque do secretário é referente ao mês de março e ocorreu por meio de dois pagamentos, sendo um R$ 106,9 mil e outro de R$ 35,3 mil. Se somarmos o valor das duas remunerações líquidas, o montante fica em R$ 80 mil.

Além de secretário, Antenor Figueiredo também é auditor fiscal efetivo do Município desde 1983 e acumula a função de chefe da Semob desde o começo da gestão Emanuel Pinheiro (MDB), iniciada em janeiro de 2017.

O procurou a assessoria de imprensa da Prefeitura para saber por qual motivo o secretário recebeu o valor a mais, já que sua remuneração mensal em 2018 ficou entre R$ 30,7 mil e R$ 46,3 mil. Em nota, a Secretaria de Gestão explica que "desde 2018 a administração vem regularizando a vida funcional de centenas deservidores", sendo que no caso de Antenor o valor "corresponde a acertos de verbas retroativas de direitos que vinham sendo discutidos desde 2003". 

"Os pagamentos são feitos por meio de parcelamento ou em parcela única, a depender de seus valores. Neste caso, contudo, uma falha no trâmite resultou na liquidação em apenas uma vez", diz trecho da nota.

Veja valores no portal transparência:

RepórterMT/Reprodução

Folha de pagamento Antenor (1).jpg
 
 
 
 
 

Veja nota na íntegra:

A respeito dos valores recebidos na folha salarial do mês 03 de 2019 pelo secretário de Mobilidade Urbana, Antenor Figueiredo, a Secretaria de Gestão informa que:

- O secretário é servidor de carreira (auditor fiscal) desde 1983.

- Desde 2018 a administração vem regularizando a vida funcional de servidores, dando andamento a processos suspensos e/ou interrompidos por questões administrativas, e garantindo o pagamento de direitos já reconhecidos.

- Centenas de servidores já foram beneficiados pela ação, que conta com o trabalho de um setor específico e hoje pode ser feita eletronicamente, dando celeridade aos pagamentos.

- Os pagamentos são feitos por meio de parcelamento ou em parcela única, a depender de seus valores. Neste caso, contudo, uma falha no trâmite resultou na liquidação em apenas uma vez.

-É importante destacar que os procedimentos passam pela Procuradoria Geral do Município (PGM), que reconhece o direito de recebimento dos servidores.

- O objeto do pagamento corresponde a acertos de verbas retroativas de direitos que vinham sendo discutidos desde 2003. 

 

- Este número, portanto, decorre de quase 15 anos retroativos, somados ao seu salário atual.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER