17.09.2019 | 08h30


OPERAÇÃO SEVEN

Receita Federal tem 5 dias para acessar provas sobre propina envolvendo Silval



A juíza Ana Cristina Mendes, titular da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, autorizou o compartilhamento de provas da segunda fase da Operação Seven com a Receita Federal.

Os documentos são referentes ao esquema de corrupção que desviou aproximadamente R$ 7 milhões dos cofres do Estado, na gestão do ex-governador Silval Barbosa, por meio da compra de uma área rural 727 hectares na região do Lago de Manso, em Chapada dos Guimarães.

A área era de propriedade do médico aposentado Filinto Corrêa da Costa. Conforme a denúncia, o médico teria recebido o dinheiro de forma ilícita e teria feito uma série de ações para ocultar e dissimular a origem das informações financeiras.

As informações da Justiça devem ser usadas no cruzamento de dados e conclusão de auditoria fiscal.

“Considerando os pedidos da Receita Federal do Brasil, em consonância com o parecer Ministerial, defiro o compartilhamento de provas requerido”, diz trecho da decisão do último dia 13.

A juíza ainda encaminhou ofício ao auditor da Receita Federal, Mauro Celso Gomes Ferreira, para que no prazo de 10 dias, providencie os meios efetivos para o compartilhamento, devendo ele retirar as provas dos autos em cinco dias. 

Leia mais aqui sobre a Operação Seven











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER