19.07.2019 | 11h10


LUTO NA PGE

Procurador do Estado morre após sofrer infarto durante férias na Colômbia



O procurador de Estado Carlos Emílio Bianchi Neto, de 51 anos, morreu ao sofrer infarto fulminante na cidade de Cartagena, na Colômbia, na noite de quita-feira (18). Bianchi deixa uma filha de 13 anos.

A morte foi confirmada pela Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Ele estava de férias,  em viagem com a família, quando passou mal. 

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) emitiu nota lamentando a morte do procurador lamenta a morte do procurador e informou que o órgão decretou luto oficial de três dias em respeito ao profissional.  

“Todos nós estamos muito abalados com a morte prematura do nosso colega. Ele sempre foi muito prestativo e atencioso, não somente no ambiente de trabalho, mas em todos os lugares. Carlos fará muita falta na advocacia pública de Mato Grosso”, ressaltou o procurador-geral do Estado, Francisco Lopes.

Confira a nota na íntegra:

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) lamenta a morte do procurador Carlos Emílio Bianchi Neto, 51, ocorrida nesta quinta-feira (18.07), em Cartagena (Colômbia). Carlos sofreu um infarto fulminante enquanto estava em viagem de férias com a família. 

Em respeito ao procurador, a PGE decretou luto oficial de três dias. A portaria será publicada no Diário Oficial do Estado. 

“Todos nós estamos muito abalados com a morte prematura do nosso colega. Ele sempre foi muito prestativo e atencioso, não somente no ambiente de trabalho, mas em todos os lugares. Carlos fará muita falta na advocacia pública de Mato Grosso”, ressaltou o procurador-geral do Estado, Francisco Lopes.

A família aguarda ainda a resolução de questões burocráticas do translado para a realização do velório e sepultamento em Cuiabá. A PGE está em contato com a embaixada e auxiliando a família. Ainda não há previsão para a liberação do corpo.

Bianchi deixa uma filha de 13 anos.

- matéria atualizada (as 14h16)

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO