10.09.2019 | 21h25


TURBINADO

PGR deu parecer de 75 páginas para cassar Selma 7 horas após ser notificada



A senadora Selma Arruda (PSL) afirmou por meio de nota, divulgada na noite desta terça-feira (10), que o pedido da procuradora geral da República (PGR), Raquel Dodge, não se trata de afastamento imediato e levantou suspeita sobre a rapidez em que o parecer favorável à cassação de seu mandato e o pedido de nova eleição para o Senado em Mato Grosso foi analisado dentro do órgão fiscalizador.

De acordo com o comunicado, a parlamentar “manifesta estranheza pelo fato de os autos terem ido ao Ministério Público Federal na data de hoje, 10/09, e o parecer, com 75 laudas, ter sido assinado pela PGR nesta mesma data, ou seja, 10/09”.

Para a senadora “há sério indicativo de que o parecer já se encontrava pronto, por encomenda, ou que a procuradora geral da República, Raquel Dodge, não tivesse mais nada a fazer, únicas hipóteses que justificariam tal concomitância”.

Selma disse que a manifestação da Procuradoria Geral foi elaborada nos mesmos termos do que foi decido pelo TRE-MT, no sentido de que o acórdão, se mantido, deve ser executado após o julgamento no TSE, independentemente da interposição de outros recursos.

Veja nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO 

A senadora Juíza Selma esclarece que a manifestação da Procuradoria Geral da República não se trata de um pedido de afastamento imediato do mandato. A PGR tão somente manifestou-se nos mesmos termos do que foi decido pelo TRE-MT, no sentido de que o acórdão, se mantido, deve ser executado após o julgamento no TSE, independentemente da interposição de outros recursos.

A parlamentar também manifesta estranheza pelo fato de os autos terem ido ao Ministério Público Federal na data de hoje, 10/09, e o parecer, com 75 laudas, ter sido assinado pela PGR nesta mesma data, ou seja, 10/09.

 

Para a senadora, “há sério indicativo de que o parecer já se encontrava pronto, por encomenda, ou que a Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, não tivesse mais nada a fazer, únicas hipóteses que justificariam tal concomitância”.

 











(4) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Paulo  11.09.19 11h27
Esqueceram de dizer que a Mediúnica Procuradora presidiu o 13º Sessão Ordinária 2019 da CNMP, que durou quase 7 horas, com um pequeno período de intervalo. Isso é uma vergonha. #cpilavatogaJÁ

Responder

0
0
Carlos Nunes  11.09.19 08h24
Esse Processo contra a Senadora SELMA não tem nem pé nem cabeça, como diz o ditado popular. A Convenção Partidária, que escolheu a Juíza como Candidata ao Senado, aconteceu em Agosto/2018, e o registro da Candidatura no TRE/MT depois. Entretanto começaram a fuçar a vida da Juíza em fatos que aconteceram em Maio/2018 e outros meses até antes da Convenção Partidária, querendo saber o que ela fez ou deixou de fazer. Ora, nenhum cidadão ou cidadã é candidato A NADA, antes que passe pela Convenção de um Partido Político e registre sua candidatura. Não é candidato nem a porteiro de cemitério. Ano que vem teremos eleição pra Prefeito de Cuiabá...as Convenções aconteceram em Agosto/2020, haverá vários candidatos a Prefeito. Seria a mesma coisa se começassem a fuçar a vida de cada um a partir de Maio/2020, e meses anteriores até à Convenção...pra saber o que fizeram ou deixaram de fazer. Isso não existe. Isso é ilegal. Esse caso da Juíza, nessas condições deve ser o inusitado no país. Espero que o TSE reverta essa Cassação sem sentido. A não ser que todos os candidatos do país também sejam submetidos a tudo isso...coisa que jamais vai acontecer, ou vai? Antes da Convenção Partidária e do registro da candidatura, fulano ou cicrano não é candidato A NADA. Nadinha.

Responder

1
0
Ed  11.09.19 07h49
Pois é, a do Lula foi rápido assim tbm.

Responder

0
0
Antonio joao  10.09.19 22h18
Mateus 7 1 "Não julguem, para que vocês não sejam julgados. 2 Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês. Esta acontecendo com q senadora o mesmo que ela fazia quando tinha autoridade.

Responder

0
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER