25.06.2011 | 16h24


DIRETO AO PONTO

Nem aí pra Copa

Perto de autorizar a liberação de R$ 420 milhões em benefícios fiscais ao Itaquerão, futuro incerto estádio do Corinthians e candidato a receber a abertura da Copa do Mundo-2014, a Prefeitura de São Paulo cortou R$ 2,48 milhões que seriam investidos na preparação da cidade para o Mundial.

A informação é da coluna Painel FC, assinada por Bernardo Itri e Eduardo Ohata e publicada na edição deste sábado na Folha. O projeto de lei que tramita na Câmara Municipal paulistana e concede incentivos fiscais às obras do Fielzão tem causado questionamentos sobre sua constitucionalidade. O texto, que dá incentivos de até R$ 420 milhões por meio de CIDs (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento), fere a Constituição, segundo juristas consultados na última terça pela Folha.

Os especialistas dizem que o projeto prevê regalias a somente um beneficiário: o Corinthians, entidade privada. Na verdade a cidade de São Paulo não está dando a mínima para a Copa e não está interessada em colocar dinheiro público em obra privada. Não deixa de ter razão, afinal, a CBF, por birra do São Paulo, vetou o Morumbi, considerado um dos melhores e maiores estádios do mundo. Enquanto cidades como Cuiabá veem na Copa a sua redenção, SP parece não estar muito animada não.

Afinal, não precisa mesmo de Mundial para encher hoteis, restaurantes e movimentar o comércio. Kassab devia é pegar toda a verba que seria investida na Copa e colocar na Saúde, na Educação e na Segurança. Faria melhor negócio.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO