15.01.2020 | 10h20


FIM DE INCENTIVO E ALTA DE PREÇOS

Mauro diz que população pode comprar fora de MT; Facmat já fala em demissões



A regulamentação da Lei Complementar n° 631/19, que reduziu a concessão de incentivos fiscais no Estado, tem criado uma queda de braço entre o governador Mauro Mendes (DEM) e o setor comercial.

A Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat) emitiu uma nota pedindo respeito do chefe do Executivo ao setor após o comentário de que a população poderia comprar fora do Estado, através da internet, devido aumento nos preços.

“O mercado é competitivo as pessoas compram pela Internet, elas compram fora do estado. Hoje o consumidor é muito sabido então quem quiser fazer esse joguinho de aumento de preço pode dar o burro n'água porque o consumidor está muito esperto e é muito fácil você pesquisar preço aqui em Mato Grosso e em todo o Brasil”, disse o governador durante a inauguração da Avenida Parque do Barbado, na segunda (13).

A entidade destacou que a fala do governador poderia desestimular o consumo no Estado e dar prejuízos ao setor e falta de emprego.

Veja a nota na íntegra:

Facmat pede respeito aos empresários de Mato Grosso

A Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat),  que representa 54 Associações Comerciais e Empresariais no Estado e mais de 18 mil empresas de todos os segmentos econômicos, lamenta a declaração do governador Mauro Mendes incentivando  a população a consumir produtos de outros estados, a partir da cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) com a regulamentação da Lei Complementar nº 631/2019.

Os empresários geram emprego e renda e merecem respeito, sendo inadmissível um governo desestimular o consumo em Mato Grosso, principalmente quando o comerciante já sofre com a concorrência de estados vizinhos e com o comércio eletrônico.

Vale ressaltar que as Associações Comerciais e Empresariais do estado têm campanhas de lutas para incentivar o fortalecimento do comércio local, a fim de fomentar cada vez mais empregos e renda nos municípios, evitando o fechamento de empresas.

É um retrocesso para todo o setor produtivo estadual. Os empregos de Mato Grosso não podem ir embora.

Facmat e Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Teka Almeida  15.01.20 11h51
É só baixarem a margem de lucro. Todo mundo sabe das diferenças gritantes dos preços do comercio aqui em Mato Grosso. Muita gente compra via internet e olha que mesmo pagando frete ainda compensa. Tem área do comercio que faturava mais de 200% agora com a regra, que já é empregada no Brasil inteiro, viram seus lucros despencarem e para manter o mesmo patamar de lucro resolveram aumentar os preços.

Responder

9
6
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO